Governo perspetiva pólo universitário capaz de servir também CEDEAO e CPLP, diz Ulisses Correia e Silva

O Governo estará “a concretizar” dentro de cinco meses o pólo universitário de Santo Antão para servir Cabo Verde, mas também as comunidades dos países da África Ocidental (CEDEAO) e de língua portuguesa (CPLP).

A garantia foi dada esta sexta-feira, 03, no Porto Novo, pelo primeiro-ministro, durante o ato de anúncio oficial da abertura, que será em Outubro, do Instituto das Ciências e Tecnologias Agrárias de Santo Antão, integrado na Universidade Técnica do Alativo (UTA).

Santo Antão terá um pólo universitário “para servir Cabo Verde”, que, além de estudantes de Santo Antão e de outras ilhas, receberá ainda alunos da região de CEDEAO e da CPLP, perspetivou Ulisses Correia e Silva, para quem “a ambição” do Governo é criar “polos universitários de referência e de excelência que possa agregar valores”.

“No arranque do letivo 2022/2023 estaremos a concretizar na prática o ensino superior em Santo Antão, começado de uma forma pragmática com instalações com dão garantias de qualidade e comunidade, que vão evoluindo”, sublinhou o chefe do Governo, que assegurou que o executivo já pensa em construir um campo universitário nesta ilha.

Será um pólo universitário que associa o conhecimento e a investigação à própria característica da ilha, que é agrícola, isso no quadro da política do Governo para o ensino superior em Cabo Verde, que alia o conhecimento à vocação das ilhas.

É neste quadro que o Governo, avançou o primeiro-ministro, se prepara para, também, abrir “brevemente” o pólo na ilha de Fogo integrado na Universidade de Cabo Verde para o ensino de conhecimento relacionado com o vulcanismo e a geotecnologia.

O presidente da Associação Municípios de Santo Antão disse esperar que o Instituto das Ciências e Tecnologias Agrárias de Santo Antão, cuja sede administrativa se vai localizar na cidade do Porto Novo, seja internacionalizado para poder receber estudantes de outros países, designadamente da CPLP.

No primeiro ano de funcionamento, este instituto vai ministrar duas licenciaturas em agronomia e zootecnia, tendo o processo de acreditação sido submetido à Agência de Regulação do Ensino Superior, informou o reitor da Universidade Técnica do Atlântico (UTA).

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest