Grupo parlamentar do MpD aponta avanços no sector dos transportes mas reconhece necessidade de aprimorar

A deputada do Movimento para a Democracia (MpD, poder), Antonita Vieira, apontou hoje, na Praia, os avanços no sector dos transportes, sobretudo os marítimos, mas ressaltou a necessidade de fazer “mais e melhor”.

Em conferência de imprensa para o balanço das jornadas parlamentares, a porta-voz do grupo parlamentar do MpD contestou assim o grupo parlamentar do PAICV (oposição) que considerou hoje que o “Governo falhou redondamente” na política de transportes aéreos e marítimos.

“Através de uma diplomacia económica juntos dos principais parceiros internacionais, o Governo tem desenvolvido esforços na mobilização de recursos financeiros nas áreas da infra-estruturação de transportes aéreos e marítimos, no reforço da conectividade interna e externa do País, os dados apontam que estamos melhores nos transportes marítimos e é visível que estão melhor organizados e mais previsíveis”, vincou.

Nos transportes aéreos, prosseguiu, Cabo Verde já está a atingir os níveis pré-pandémicos, no entanto, reconheceu, o Governo está ciente da necessidade de “fazer mais e melhor”, ressaltando que quer no sector aéreo quer no sector marítimo o País terá “boas novas” nos próximos tempos.

Conforme observou Antonita Vieira, há dados que indicam melhorias nos transportes, especialmente nos marítimos. No entanto, mesmo com as avarias sucessivas registadas nos navios, deixando vários utentes em terra, ela garante que, em caso de avarias, é preferível cancelar os serviços a correr o risco de um acidente.

“Nós sabemos antes da concessão, antes de 2016 como era o nosso transporte marítimo, temos de levar em conta esse antes e este agora, o utente agora está a pedir o que este Governo deu, que foi previsibilidade e mais organização. Nós sabemos que tinha linhas com dias, semanas, meses, uma única viagem e havia pessoas sempre a reclamar e agora não vamos ter mais de 48 horas em que não ter uma viagem por exemplo para ilha do Maio”, elucidou.

Por isso, contestou a oposição, sublinhando que o PAICV é consciente de como deixou o sector dos transporte no país, lembrando que o PAICV deixou uma dívida de 100 milhões de euros nos transportes aéreos.

Quanto à aquisição de mais barcos, conforme prometido pelo Governo, a deputada afirmou que não era uma ‘obrigatoriedade’ e que ainda há tempo, acrescentando que o Governo tem estado em busca de embarcações adequadas à realidade de Cabo Verde.

Em relação ao debate com a ministra das infra-estruturas, também assunto em discussão nesta sessão parlamentar que se inicia nesta quarta-feira, na qual o PAICV irá apontar o não cumprimento das promessas por parte do Governo no que diz respeito a este sector, especialmente os aeroportos da Brava e de Santo Antão, a deputada adiantou que o Governo está a trabalhar nesse sentido.

A menos de duas semanas, completou, o Governo conseguiu, através do Banco Mundial, vários financiamentos que incluem o Hospital da Praia entre outras grandes obras já planeadas.

“O Governo faz estudo porque ninguém dá financiamento sem um estudo bom e realista. É por isso que o Governo vai cumprir o que prometeu, e não é promessa, é compromisso. O Governo tem compromisso com a população”, concretizou.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest