Ministro da Educação acredita que ensino superior pode inverter saída “massiva” dos jovens da ilha de Santo Antão

O arranque, a partir de Outubro próximo, do ensino superior em Santo Antão “poderá ser o início da inversão da tendência da saída massiva” dos jovens desta ilha, acredita o ministro da Educação, Amadeu Cruz.

Este governante disse à Inforpress que a entrada em funcionamento, a partir do ano letivo 2022/23, do Instituto Superior das Ciências e Tecnologias Agrárias, de Santo Antão (ISCTA-SA) pode, sim, inverter “a tendência da migração massiva dos jovens” santantonenses em direção a outras ilhas.

Por isso, a seu ver, “é desejável que os santantonenses colaborem na promoção dos primeiros cursos superiores” nesta ilha, a serem ministrados pela Universidade Técnica do Atlântico, através do ISCTA-SA.

Entretanto, a apresentação pública da oferta formativa do ISCTA-SA, inicialmente agendada para esta quarta-feira, foi adiada para “uma data a indicar”, segundo uma nota, sem avançar os motivos do adiamento.

A oferta formativa deste instituto integra, no primeiro ano de funcionamento, as licenciaturas em Engenharia Agronómica e Engenharia Zootécnica.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest