MpD considera que o Governo tem feito um esforço incomensurável de recuperação do país

O vice-presidente da bancada parlamentar do MpD considerou hoje que o estado da Nação é de um país que tem protegido as pessoas, que está a fazer um “esforço incomensurável” de recuperação e aumentar a resiliência nacional.

Luís Carlos Silva fez estas afirmações em conferência de imprensa de balanço das jornadas parlamentares para o arranque da segunda sessão parlamentar deste mês e debate sobre o estado da Nação.

Segundo disse, o estado da Nação é o de um país que fez a opção firme em 2016 e 2021, uma opção de mudanças de políticas que entendeu que para implementar esta visão carece de uma série de transformações nas várias áreas.

Destacou as medidas adotadas para impulsionar a transição energética, reduzindo a dependência do país e aproveitar da melhor forma o potencial a nível nacional em termos de recursos renováveis, uma nova estratégia para a água e agricultura.

Apontou ainda a aposta no digital, a diversificação e robustez do turismo, fazer de Cabo Verde um centro de prestação de serviço no atlântico nas suas diferentes vertentes, tendo, no entanto, reconhecido que o estado da Nação no decurso da sua implementação caiu dentro de um contexto de crise.

A começar, referiu, pela seca, a pior dos últimos 40 anos, uma nação ainda em ressaca da pandemia e as suas consequências e de um país a enfrentar as consequências de uma guerra que impactou negativamente os preços dos combustíveis e dos produtos da primeira necessidade.

“É preciso dizer o verdadeiro país que temos. O estado da Nação é o de um país a fazer esforço hércules, um esforço brutal, um esforço para proteger os cabo-verdianos, aumentar a resiliência do país e implementar medidas para fazer a transformação estrutural do país para que possamos acelerar na pós-crise, o processo de desenvolvimento”, afirmou, salientando que o arquipélago nunca ficou suspenso.

Destacou ainda as medidas implementadas pelo Governo para mitigar os efeitos da seca, a grande luta travada para combater a pandemia da covid-19 e a implementação de um plano para enfrentar os efeitos da guerra na Ucrânia.

“Para enfrentar os efeitos da guerra, inicialmente foi implementado um plano de urgência para proteger Cabo Verde da rutura do stock, manter os preços dos produtos em níveis abordáveis, proteger a produção agrária”, indicou, revelando que este esforço está avaliado em cerca de 80 milhões de contos.

De acordo com Luís Carlos Silva, o Governo tem trabalhado por forma a proteger, aumentar a resiliência e transformar o país, proporcionando assim um futuro melhor, num quadro de menos exposição a choques externos.

Reconheceu, entretanto, que no sector dos transportes marítimos, ainda não está no nível desejado de prestação de serviço, tendo frisado que a pandemia da covid-19 afetou o referido sector.

“Afetou a operação, mas afetou também financeiramente todo o processo. Por exemplo, a questão dos combustíveis que subiram exponencialmente aqui em Cabo Verde e no mundo. Portanto, nós temos que aceitar que há um problema, o nível dos serviços não está nos níveis que nós desejamos, existem problemas que derivam de avarias de embarcações, mas nunca poderemos perder de vista qual é o estado inicial”, declarou.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest