Nomeação Felisberto Vieira: UCID contra “politização” do cargo de embaixador 

O presidente da União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID, oposição) mostrou-se hoje, no Mindelo, contra o que diz a ser a “politização” do cargo de embaixador, que deve ser entregue a diplomatas de carreira.

João Santos Luís assumiu o posicionamento hoje ao ser confrontado pela imprensa, no Mindelo, sobre as declarações do Presidente da República de que a eventual nomeação de Felisberto Vieira para embaixador em Cuba ultrapassa alguns critérios “muito claros e precisos” por ele impostos após a investidura.

“Não é nomeado quem já esteja aposentado, quem já esteja prestes a aposentar-se ou quem esteja fortemente conotado com a política ativa ou esteja no furacão da política”, explicou José Maria Neves, em comunicado.

No mesmo diapasão, o presidente da UCID disse que há muito que o partido vem falando sobre figuras “extremamente politizadas, partidarizadas e que não devem, efetivamente, aceitar como embaixador”.

“Portanto, o cargo de embaixador, nós entendemos se há, se existe, efetivamente, diplomatas com o perfil de exercer, não há razões para o Estado não ir e indicar embaixadores políticos”, defendeu João Santos Luís, com a ideia de que “o Governo continua naquela de querer proteger os amigos”.

Por isso, conforme a mesma fonte, a Presidência da República teve “um bom funcionamento nesse aspeto”, porque se existem diplomatas à disposição, o Governo deve indicá-los para assumir as embaixadas “em qualquer parte que seja”.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest