PAICV denuncia falta de água para rega e consumo na Ribeira Seca há dois meses

O PAICV denunciou hoje, na cidade da Praia, a situação de penúria de água para a rega e consumo há cerca de dois meses, que afecta mais de 80 agricultores na Ribeira Seca.

A denúncia foi feita pelo deputado e membro do Conselho Nacional do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição), Carlos Rodrigues, que afirma que os agricultores se sentem abandonados pelo Governo, pois estão sem água para rega simplesmente por falta de reparação dos equipamentos que asseguram o abastecimento.

“Essa grave omissão do Governo está a comprometer a produção com elevadas perdas de recursos financeiros e outros investimentos já realizados. Ademais, não se percebe que nesta ribeira em que a água nasce do subsolo na barragem de Poilão, este Governo que nunca gostou das barragens, não esteja a apoiar esses agricultores com instalação da gota a gota que traria mais vantagens para a produção, aumentando o tempo de cultivo”, disse.

O deputado lembrou ainda da importância do setor agropecuário para o desenvolvimento da Região Santiago Norte, sobretudo pelo potencial do sector para a criação de emprego e garantir a segurança alimentar e nutricional da população daquela região.

No entanto, vincou, desde 2016 se assiste a um “abandono do setor agropecuário” em Cabo Verde em geral e Santiago Norte em particular pelo Governo, que é visível na redução dos investimentos neste sector, e a descontinuidade dos projetos agropecuários, sobretudo o projeto de mobilização de água para rega e o “descaso” com a gestão das barragens e manutenção das infra-estruturas hidroagrícolas.

“Este descaso levou com que a produção agrícola reduzisse em mais de 40 % e na destruição de 24 mil postos de trabalho no setor primário em Cabo Verde”, apontou Carlos Rodrigues.

O último exemplo, citou aquele responsável, é o “descaso” com a barragem de Poilão e os agricultores ao seu entorno, tanto a montante como a jusante da barragem, em que, referiu, o Governo está “ausente e incapaz” de apoiar os agricultores ,de modo a facilitar que as águas acumuladas sejam utilizadas de modo eficiente.

Por isso, defendeu a urgência na implementação de medidas de políticas para reverter esta situação, através de mais investimentos para o sector agropecuário, “apostando fortemente” na mobilização de água para a agricultura e pecuária, introdução de medidas de gestão sustentáveis das barragens, garantir a assistência técnica aos nossos agricultores e criadores de gados, formação constantes aos agricultores e criação de um seguro para o setor agropecuário.

Daí que apelou ao Governo para reconheçer a importância do sector agropecuário em Santiago Norte e Cabo Verde e que tome medidas para reverter o estado de “abandono” desses sectores e promover o desenvolvimento sustentável da nossa região e do mundo rural.

Carlos Rodrigues recordou ainda que o ministro da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, havia prometido a construção de 20 dessalinizadores a nível nacional, mas até agora “não há um único dessalinizador” em funcionamento, pelo que o PAICV aguarda o impacto que terá na agricultura.

“Para o MpD, ao que parece, a agricultura não faz parte da sua visão estratégica de desenvolvimento de Cabo Verde”, afirmou Carlos Rodrigues, defendendo a necessidade de melhorar e aumentar a qualidade e a quantidade dos investimentos públicos no setor agrícola, incluindo a pecuária.

“É preciso melhorar o acesso aos serviços financeiros e reduzir a exposição aos riscos de todos os que operam no setor agrícola, é preciso melhorar o desempenho dos produtores e operadores”, assinalou o deputado.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest