Porto Novo: Autarquia e governos de Cabo Verde e Países Baixos ponderam candidatura conjunta das festas a património mundial

Autarquia porto-novense e os governos de Cabo Verde e dos Países Baixos têm a “intenção” de apresentar à Unesco uma “candidatura conjunta” das festas de São João a património cultural imaterial da humanidade.

O anúncio foi feito quarta-feira pelo vereador da cultura da Câmara Municipal do Porto Novo, Nilson Santos, durante um encontro em que se debateu a necessidade de salvaguarda da identidade cultural das festas de São João neste município, classificadas em 2017 a património cultural imaterial nacional.

Nilson Santos disse que a ideia da câmara do Porto Novo e do Governo de Cabo Verde é aproveitar o facto de nos Países Baixos as festas de São João serem já consideradas património cultural imaterial e envolver o governo daquele país europeu na formulação de uma candidatura conjunta.

A intenção é, também, envolver o governo português tendo em conta que, em Cova da Moura, as festas de São João têm também o título de património cultural imaterial nacional, avançou.

O vereador da cultura da edilidade porto-novense anunciou ainda que a câmara do Porto Novo, em parceria com a Paróquia de São João Baptista, está a construir uma estátua que retrata a figura lendária de Mê Maia (mãe Maia) ligada às festas de São João neste concelho.

Porém, este autarca alertou para a necessidade de se preservar a identidade cultural desta manifestação cultural, que desde 2017 tem o título de património cultural imaterial de Cabo Verde, sendo “fundamental”, a seu ver, o envolvimento dos jovens na implementação do plano de preservação destas festas.

Para já, o Instituto do Património Cultural (IPC) considera que esta classificação “não está em risco” apesar da “pouca participação” dos jovens na preservação dos “aspetos peculiares” desta manifestação popular.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest