PR considera EU Católica uma “grande novidade” e destaca contributo fundamental que poderá dar para desenvolvimento do país

O Presidente da República, José Maria Neves, considerou esta quinta-feira, 24, que a Escola Universitária Católica de Cabo Verde (EU Católica) é uma grande novidade e destacou o contributo fundamental que a mesma poderá dar para o desenvolvimento do País.

José Maria Neves que falava aos jornalistas momentos antes de presidir à cerimónia de apresentação pública da EU Católica, frisou que a Igreja Católica, desde os descobrimentos, tem tido um papel fundamental na formação dos cabo-verdianos.

Um contributo que, na sua perspetiva, será agora elevado com a criação da Escola Universitária Católica elevando o campo intelectual para um patamar mais forte em Cabo Verde e, ao mesmo tempo, que cria as condições para o País ter um ensino superior de maior qualidade desenvolver outros espaços da ciência como a investigação e a extensão universitária.

“Portanto é contributo fundamental para ganharmos mais confiança em nós mesmos para reforçarmos o vigor intelectual em Cabo Verde e para, assim, aceleramos o processo de desenvolvimento do nosso País”, disse o Chefe de Estado declarando-se crente em como a EU Católica irá dar “um contributo fundamental para a construção do Cabo Verde dos nossos sonhos”.

A EU Católica foi formalizada por Despacho Conjunto dos Bispos das Dioceses de Santiago e de Mindelo, no dia 1 de Janeiro de 2022 e obteve o reconhecimento civil, pela Agência Reguladora do Ensino Superior, a 27 de Outubro de 2022.

A instituição iniciou as suas atividades letivas no dia 21 de Novembro e, neste primeiro ano, arranca com três cursos de pós-graduação, designadamente a Pós-graduação em Formação para a Docência no Ensino Superior, a Pós-graduação em Ciências Religiosas e a Pós-graduação em Ensino da Doutrina Social da Igreja.

O grande objetivo da EU Católica, segundo o seu diretor, o padre José Eduardo Afonso, é de promover a internacionalização, o intercâmbio dos saberes e, ao mesmo tempo, desenvolver atividades de investigação e extensão junto das comunidades.

“Nós entendemos que estamos numa fase em que é preciso dar mais um salto. Depois da implementação passou-se a fase da conceção de diplomas, dos cursos e nós acreditamos que estamos numa fase em que é possível apostar no gosto pela investigação.  Então a Escola tem como grande foco a aposta na investigação”, sustentou.

Para tal, indicou o diretor, a instituição conta com a colaboração das congéneres na Europa, na América e em outras paragens.

Neste momento a EU Católica, que arrancou com mais de 100 alunos, está a funcionar nas instalações do Bispado, no Plateau, e posteriormente deverá deslocar-se para o seminário de São José, na cidade da Praia.

A apresentação pública da Escola contou com as presenças dos Bispos de Santiago e do Mindelo, Dom Arlindo Furtado e de Dom Ildo Fortes, da pró-reitora da Universidade Católica do Polo de Braga e de dois professores do Instituto Superior das Ciências Religiosas de Barcelona.

O ato foi marcado por uma aula magna proferida pelo cientista cabo-verdiano Jay Querido, tendo como tema “EU Católica: um novo olhar sobre o ensino superior em Cabo Verde”.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest