PR quer que a diáspora participe na formulação das políticas públicas

O Presidente da República, que realiza a partir de quinta-feira, 28, a sua primeira visita a Portugal, quer que a diáspora esteja “mais presente” no processo de desenvolvimento do País e com participação na formulação das políticas públicas.

“É esta a mensagem que vou levar, garantir que a diáspora esteja muito mais presente e participe na formulação das políticas aqui no Pais”, disse José Maria em declarações à imprensa, após conferir posse a Gabriel Fernandes como membro do Conselho da República.

“A diáspora não é só remessa financeira, pode trazer muito para Cabo Verde e pode apoio-nos no aceleramento do nosso processo de desenvolvimento através de ideias, contribuindo para o incremento da educação, da saúde e para a satisfação da nossa administração pública”, apontou José Maria Neves, que em Portugal vai participar no Fórum Euroafricano, promovido pelo Conselho da Diáspora Portuguesa.

Para Neves, a diáspora pode ser um “fermento” para acelerar o passo, romper com determinadas práticas, criar novos hábitos mentais e conseguir acelerar o processo de desenvolvimento de Cabo Verde.

O chefe de Estado apontou, contudo, que esta visita servirá para traçar novos caminhos nas relações entre os dois países, “convocando os atores não estatais, nomeadamente as universidades, as fundações e as ONG”, para redimensionar o processo de relacionamento entre Cabo Verde e Portugal.

“Na verdade, as empresas, as   universidades, as ONG e as pessoas muitas vezes acabam por estar à frente do Estado e podem trazer novas oportunidades para o reforço das relações de amizade e de cooperação”, precisou.

O Presidente da República, José Maria Neves, desloca-se na quinta-feira, 28, a Portugal para uma visita de Estado de quatro dias, a convite do seu homólogo português, Marcelo Rebelo de Sousa.

Durante a sua estada naquele país europeu, de acordo com uma nota enviada à redação da Inforpress, o chefe de Estado cumprirá uma “intensa agenda” de trabalhos, tendo em vista o “reforço dos laços históricos, políticos, económicos, culturais e de cooperação existente entre os dois países”.

Integram a delegação presidencial, entre outras personalidades, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Cooperação e Integração Regional, Rui Figueiredo Soares, o ministro das Comunidades, Jorge Santos, e o presidente da Associação Nacional dos Municípios de Cabo Verde, Herménio Fernandes.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest