Praia: Presidente da Câmara lamenta “onda de insegurança” e fala de programa para garantir mais harmonia e tranquilidade

O presidente da Câmara Municipal da Praia (CMP) lamentou esta sexta-feira, 10, a onda de insegurança que se verifica neste momento na capital do país, e salientou que é preciso “alternativas que realmente funcionam”, para mudar esta situação.

Francisco Carvalho falava à Inforpress, à margem da primeira reunião do comité directivo do projeto “Adaptando Planos Locais de Desenvolvimento Urbano integrado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável por meio de Abordagens de Múltiplas Partes Interessadas e Governança Múltipla”.

O edil praiense adiantou que a autarquia tem um projecto para penetrar nas comunidades, com um “trabalho estruturante no sentido de construir uma sociedade com mais harmonia, tranquilidade e oportunidades”

“É preciso entender que nós precisamos de uma sociedade com mais oportunidade e alternativas, porque se não criarmos oportunidade e oferecermos as alternativas, os jovens irão caminhar para aquilo que é mais fácil, que aparece de imediato nas ruas”, disse.

Francisco Carvalho sustentou que intervenções precisam ser feitas nas comunidades para evitar as “consequências” que o país e o município da Praia, em particular, estão a viver, com “situações de violência e ondas de assaltos”.

Neste sentido indicou que a Câmara Municipal da Praia está a trabalhar com as associações no sentido de estar mais próximo dos jovens e, consequentemente, sensibilizá-los para as questões sociais.

“Pela primeira vez na história deste município, temos um edital para financiar actividades de associações aqui na Praia. Reunimos com as associações, apresentamos os resultados dos concursos, tínhamos uma disponibilidade orçamental para contemplar quarenta associações, mas tivemos quarenta e dois associações, disponibilizamos a contemplá-los todos”, disse.

O presidente da CMP sublinhou que o projecto é um sinal de abertura, importância e da valorização das associações comunitárias.

“Vamos pedir às associações que auxiliem a câmara na conversa com os jovens e vamos criar as condições para oferecer-lhes oportunidades para afastarem-se das situações de vulnerabilidade e de violência.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest