Presidente da câmara de Ribeira Grande de Santiago faz “balanço positivo” dos três anos de mandato

O presidente da Câmara Municipal de Ribeira Grande de Santiago considerou hoje que o balanço dos três anos do mandato da atual equipa camarária é “positivo”, apesar de assumir a autarquia num “contexto difícil” da pandemia da covid-19.

Nelson Moreira, que falava à Inforpress para o balanço dos últimos três anos em que esteve à frente do município que alberga o Património Mundial da Humanidade, sublinhou que a autarquia foi confrontada com constrangimentos derivados da pandemia da covid-19, da seca e da invasão Russa à Ucrânia, que veio a “complicar ainda mais o contexto difícil” em que o mundo vivia.

Sendo Ribeira Grande um município com “pouca capacidade” de arrecadação de recursos, Nelson Moreira sublinhou que as ações feitas nos últimos anos nos vários domínios contribuíram para “melhorar um pouco” a vida da população do concelho, considerado um dos menos desenvolvidos do país.

O presidente destacou as intervenções a nível da iluminação com energias renováveis nos edifícios da câmara, no centro cultural e nas ruas de Banana e Carreira, como sendo uma referência deste mandato, que teve como foco as pessoas.

Nelson Moreira fez referência ainda ao trabalho de recuperação da orla marítima de Cidade Velha, as obras da rua pedonal em São Martinho, praça de São João Baptista, requalificação da primeira fase de Salineiro e requalificação nos cemitérios de Cidade Velha, São João Baptista e Belém, como “estruturantes” para o concelho.

Apontou que a construção do estádio municipal em São Martinho é uma obra de “grande valia” para todo o município, sendo que poderá acolher jogos do campeonato de Santiago Sul e vai permitir à equipa da Ribeira Grande, que se encontra no segundo escalão, ter uma estrutura para treinar, mas também aos jovens de todo o concelho.

Entretanto, destacou que graças ao diálogo com o Governo central há um entendimento para a construção do novo centro de saúde, uma reivindicação antiga, já que a atual estrutura de saúde não responde às demandas do momento e futuras.

Indicou que a câmara cedeu um terreno na zona de acesso a Salineiro e neste momento está-se a trabalhar no desenvolvimento do projeto, que já conta com o financiamento do Governo.

Na mesma linha avançou os investimentos e intervenções a nível do sector das pescas, da agricultura e da acção social, que permitiram melhorar as condições de trabalho e “empoderar as mulheres chefes de família beneficiárias”.

“Dentro das atividades desenvolvidas, temos estado a tentar sempre ter um equilíbrio entre obras consideradas visíveis, mas também as partes sensíveis que passam pelo empoderamento das famílias para a sua autonomia”, indicou a mesma fonte.

Por outro lado, o autarca reconheceu que a habitação social continua a ser “o calcanhar de Aquiles” do município que tem ainda “muitos problemas” ligados a esta temática.

“Consideramos ser um problema estruturante e bicudo aqui em Cabo Verde sendo que ainda não conseguimos responder a todos os desafios a nível de déficit habitacional, sendo que carece de muitos recursos e capacidade desta câmara é muito limitada”, apontou.

O Dia do Município da Ribeira Grande de Santiago e de “Nhu Santo Nome”  celebra-se a 31 de Janeiro com uma sessão solene.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest