Primeira prioridade no segundo pacote do PRRA será repescar as obras que não foram realizadas, diz ministra

A ministra das Infraestrutura, Ordenamento do Território e Habitação garantiu hoje que a primeira prioridade no segundo pacote do PRRA será repescar as obras não realizadas, tendo em conta que o programa não foi concluído a 100%.

Eunice Silva fez esta promessa ao ser ouvida, em Comissão Especializada de Economia, Ambiente e Ordenamento do Território (3ª CE), no âmbito da apresentação e discussão na especialidade do Orçamento do Estado para o Ano Económico de 2023.

Falando das prioridades do segundo pacote do Programa de Reabilitação, Requalificação e Acessibilidades (PRRA), a governante assegurou que na segunda fase vão ser repescadas as obras incluídas no programa.

“Como sabem, o PRRA não foi concluído a 100 por cento (%), portanto a primeira prioridade no segundo pacote é ir repescar as obras que estão no programa e que não foram realizadas e que agora vão aparecer”, afirmou, informando que no momento estão em negociação com o Banco Mundial.

Eunice Silva indicou como exemplo três orlas marítimas nas localidades de Queimada, nos Mosteiros, em Praia Baixo, na ilha de Santiago, e no Tarrafal de São Nicolau, que ficaram pendentes.

A nível das estradas apontou como prioridade da ilha de Santiago, as obras de Pingo Chuva, Ribada, afirmando que a estrada de Pico Leão, está na mesa de negociação, assim como as de Caibros, na ilha de Santo Antão.

“É um compromisso, e nós todos esses investimentos, em estradas, em orlas, em requalificação urbana constam do segundo pacote do PRRA, está sendo negociado, assim que tivermos o fecho, não consta do orçamento, portanto, são um conjunto de projectos que nós estamos a negociar e Pingo Chuva está a cabeça”, afiançou.

Quanto ao orçamento disponibilizado de 2,5 milhões de contos, declarou que é com este que vão trabalhar, até porque foi o possível destinado ao seu ministério, pelo que perspectivou, no decorrer do ano 2023, à medida que os empréstimos entram, fruto de negociações, possam realizar mais trabalhos.

O OE’2023 é de 78 milhões de contos, um acréscimo de quatro/cinco por cento (%) em relação ao orçamento vigente de 2022.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest