UCID diz não dar tréguas à câmara do Sal e ao Governo enquanto continuarem a “ignorar gritos” da população

O presidente da União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID), João Santos Luís, asseverou esta segunda-feira, 28, que o seu partido não vai dar tréguas à Câmara Municipal do Sal nem ao Governo enquanto continuarem a “ignorar os gritos” da população.

João Santos Luís fez estas declarações no final da sua visita de três dias à ilha do Sal para, em jeito de acompanhamento e fiscalização, conforme disse, verificar se houve tomada de medidas relevantes por parte das autoridades locais e centrais que melhorem a vida dos cidadãos que cá vivem.

Passados seis meses desde a última visita, em Maio deste ano, o líder da UCID disse que é com preocupação que vê a situação da ilha, falando de “excessivas burocracias” que impedem a expansão e modernização da extração do sal, inexistência de projetos privados ligados ao sector da aviação civil e pesca industrial, cães vadios, entre outras inquietações.

“Causou-nos estranheza e arrepios ao constatarmos uma tremenda falta de interesse e ou descaso dos poderes instituídos em dar, sequer, um sinal no sentido de desenharem soluções para questões importantes que impedem o alcance de objetivos que melhorem a qualidade de vida da população da ilha do Sal”, comentou.

João Santos Luís deita ainda um olhar crítico sobre os troços de estradas que ligam Espargos/Santa Maria/Espargos/Palmeira, que se encontram em péssimas condições de circulação, a falta de iluminação pública na praceta situada ao lado da via pedonal, a indefinição da situação de terrenos e a posse das Salinas de Pedra Lume.

No seu entendimento, estas situações devem-se à “inércia e descaso do Governo”, enquanto a câmara municipal, por sua vez, “não está nem aí”.

“Não iremos dar tréguas nem à câmara municipal e nem ao Governo enquanto continuarem a ignorar os gritos da população de que a sua qualidade de vida deve ser melhorada”, reiterou, considerando que a ilha do Sal tem grandes potencialidades de desenvolvimento.

“As soluções e as alternativas estão à nossa frente e os poderes, local e central, sabem perfeitamente disso, no entanto, continuam a ignorar os recursos endógenos que a ilha possui, que se bem explorados e aplicados de forma correta podem contribuir para a melhoria significativa da qualidade de vida das pessoas na ilha”, referiu.

João Santos Luís concluiu frisando que a UCID está a trabalhar para se tornar uma “verdadeira” opção política para a ilha do Sal.
Depois da conferência de imprensa, para fazer o balanço da sua visita à ilha turística, assistiu-se à inauguração da nova Sede Regional da UCID no Sal, situada na zona de Chã de Fraqueza.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest