Santiago Norte: Ministro diz que Santiago é das ilhas que apresenta produto turístico mais completo em Cabo Verde

O ministro do Turismo e Transportes, Carlos Santos, afirmou hoje que Santiago é das ilhas que apresenta um produto mais completo a nível do turismo no país, sendo necessário trabalhá-lo para tirar proveito.

Tal afirmação foi feita pelo governante em declarações à imprensa no acto da abertura da conferência “A construção do destino turístico de cultura, sol e mar na ilha de Santiago”, em São Salvador do Mundo, enquadrado na programação da quarta edição da Feira Intermunicipal de Turismo de Santiago – Feturis que decorre de 05 a 07 de Abril.

Carlos Santos ao justificar a sua afirmação, explicou que a ilha consegue cobrir vários segmentos, desde o turismo de natureza, o turismo de sol e praia, o turismo de eventos e desportos náuticos, entre outros, sublinhando que Santiago tem um potencial enorme e que está a ser traduzido também em realização de bons negócios.

A quarta edição da Feturis, segundo a mesma fonte, é um evento que procura dar visibilidade ao destino de Santiago e todo o trabalho que está a ser feito a nível de infra-estrutura, e o Governo está a investir 1.800.000 contos em toda a ilha, no que tange a estradas de desencravamento na rede de aldeias turísticas, mas também em tudo o que diz respeito à capacitação de jovens para começar a ter também um turismo de qualidade.

“Já atingimos 1.000.000 de turistas, daí é um momento também para nós começarmos a olhar para a questão da qualidade e todo esse trabalho que está a ser feito a nível de infra-estrutura é porque sem infra-estrutura nós não conseguiremos ter os munícipes a receber bem os turistas”, explicou.

Tendo em conta a luta pela diversificação do estilo turístico no país, o ministro afirmou que “Santiago vai ter esse papel nesse desígnio da diversificação e de aumentar o âmbito territorial do turismo em todo o país” e que o Governo está a construir esse destino, aliado aos parceiros privados.

Sobre a conferência, evidenciou que esta vem no sentido de dar visibilidade à ilha de Santiago e também para trazer os agentes que são os formadores dos conteúdos que precisa, justificando que “não há turismo sem termos conteúdo, sem termos museus sem indústrias criativas” para apresentar aos turistas.

Neste aspecto, reforçou que é necessário que o sector privado se envolva nesse processo, convidando a diáspora a se envolver também, realçando que “é isso que os estudiosos da matéria estão a dizer e a aconselhar”.

Daí, defendeu que é preciso continuar a informar a sociedade, reforçando que também o sector privado tem um papel determinante para alcançar esse objectivo, unindo-se ao público para preparar a oferta, para diversificar e conseguir pôr Santiago no patamar que todos desejam.

Já o presidente da Câmara Municipal de São Salvador do Mundo, Ângelo Vaz, como município anfitrião desta edição, revelou que nesses três dias São Salvador do Mundo é a capital do turismo da ilha de Santiago.

E neste sentido, considerou ser este o momento para traçar directrizes sobre aquilo que querem para a ilha de Santiago, aproveitando as mais valias do turismo por todas as externalidades positivas que ela tem.

Esta conferência, segundo o autarca, vai permitir aos presentes discutir e partilhar experiências sobre as acções necessárias para que, de facto, a ilha possa expressar-se enquanto um destino turístico.

“Trazer aquilo que é fundamental para que o turismo também reflicta na vida directa das famílias, das pessoas e assim contribuir para a melhoria da sua condição de vida”, disse, ressaltando que no caso deste município ele é “lindo do ponto de vista natural” que embora não tenha litoral, mas há vales e paisagens capazes de impulsionar e atrair esta actividade.

Por seu turno, o presidente da Associação dos Municípios de Santiago (AMS), Carlos Silva desafiou as entidades competentes a realizarem a Feturis em outras ilhas turísticas, nomeadamente Sal e Boa Vista, como forma de divulgar e fazer estes produtos e potencialidades santiaguenses chegarem a um número maior de turistas.

Esta conferência, conforme destacou, vai servir de reflexão e de uma análise conjunta sobre o estilo turístico da ilha, relembrando que a ilha tem “praticamente tudo para oferecer” aos turistas.

A primeira edição foi realizada em 2017, no Tarrafal, a segunda em 2018, na cidade de Assomada, Santa Catarina, e a terceira edição em 2019, no Centro Histórico e Cultural do Porto da Calheta, em São Miguel.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest