Sudão: Ex-Primeiro-Ministro está em sua casa, diz general Al-Burhan

O chefe das Forças Armadas sudanesas, general Abdel-Fattah al-Burhan, anunciou hoje, terça-feira, que o primeiro-ministro deposto do país, Abdullah Hamdok, que foi preso pelos militares, está em sua casa, revelando assim o paradeiro do ex-chefe do Governo.

“Disse que não tinha a certeza se a detenção de um ministro ou de um político era a coisa certa a fazer, mas disse que tinha de justificar as suas acções perante o público”, referiu o general, citado pelo site Notícias ao Minuto.

“Ninguém o raptou ou agrediu, ele está em minha casa”, disse Al-Burhan, numa conferência de imprensa em Cartum, assegurando que “quando a situação se acalmar e a paz prevalecer, ele voltará para casa”.

A comunidade internacional tem vindo a pedir a libertação de Abdullah Hamdok.

A tomada do poder pelos militares esta segunda-feira seguiu-se a semanas de crescente tensão política no país, intensificadas como uma tentativa de golpe de Estado em 21 de Setembro.

Esforços de membros civis do Governo em reformar o sector da segurança no país geraram uma forte reacção dos militares, inclusive de al-Burhan.

Os militares deixaram de participar em reuniões conjuntas com membros civis, o que atrasou, por exemplo, a aprovação por parte do Conselho de Ministros de entregar o antigo ditador Omar al-Bashir e outros dois responsáveis do regime deposto em Abril de 2019 ao Tribunal Penal Internacional (TPI).

Nas primeiras horas de 25 de Outubro, os militares prenderam pelo menos cinco ministros, bem como outros funcionários e líderes políticos, incluindo o primeiro-ministro.

Ao meio do dia de segunda-feira, Al-Burhan, presidente do Conselho Soberano – órgão governativo composto por civis e militares – anunciou num discurso na televisão estatal que dissolvia o Governo e o próprio Conselho Soberano, e decretava o estado de emergência no país.

Inforpress/Angop

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us