Trump vai recorrer da condenação

O ex-Presidente dos Estados Unidos Donald Trump prometeu apelar contra a condenação proferida na quinta-feira, 30, por 12 murados num tribunal de Manhattan, em Nova Iorque, que o consideraram culpado das 34 acusações criminais relacionadas com a sua tentativa de influenciar ilegalmente o resultado das eleições de 2016.

“Foi um julgamento fraudulento”, afirmou o ex-Presidente, ao falar a um pequeno grupo de repórteres e apoiante s nesta sexta-feira, 31, na sexta-feira no Trump Tower, no centro de Manhattan.

Durante 33 minutos, ele apresentou uma lista improvisada e desconexa de queixas sobre o caso, o país e o Presidente Joe Biden.

Trump alegou – sem apresentar provas – que o juiz é corrupto e injusto e que os processos judiciais do Estado de Nova Iorque foram orquestrados por Biden e autoridades federais.

“Estou muito honrado por estar envolvido porque estamos a lutar pela nossa Constituição”, acrescentou Trump.

Por seu lado, o Presidente Joe Biden, na abertura de um discurso na Casa Branca sobre o Médio Oriente, apontou que o veredito unânime contra Trump veio depois de o júri ter ouvido cinco semanas de depoimentos e que o antigo Presidente teve todas as oportunidades para se defender.

“E é imprudente, é perigoso, é irresponsável alguém dizer que isso foi fraudulenta só porque não gosta do veredito”, disse Biden.

O júri de 12 membros deliberou durante cerca de 10 horas durante dois dias consecutivos antes de fazer Trump o primeiro Presidente dos EUA a ser julgado e condenado por acusações criminais.

Trump será o candidato presidencial republicano em 2024 nas eleições de novembro contra Biden.

Quatro dias antes da sua formalização como candidato pelo Partido Republicano, o juíz Juan Merchant ditará a sentença que pode ir de multa, pena suspensa a prisão.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest