Ulisses Correia e Silva enaltece a importância de valorizar o Estado na vida das pessoas e empresas

O primeiro-ministro considera ser necessário que os servidores dos serviços públicos e a administração valorizem a importância do Estado na vida das pessoas e das empresas, para que os serviços sejam eficientes em termos de serviços com qualidade.

Maior resposta em termos de capacidade e prestação de bons serviços e com qualidades que levem em conta o tempo e o custo, foram referenciados por Ulisses Correia e Silva na sua visita, esta manhã, às novas instalações do Ministério da Modernização do Estado e da Administração Pública, na antiga reitoria da Uni-CV no platô, como determinantes no quadro da modernização do Estado e transformação digital.

Referiu que na qualidade de um país arquipelágico, Cabo Verde terá de fazer com que os serviços prestados tanto na Cidade da Praia, enquanto capital, como na ilha da Brava, sejam praticados ao mesmo nível, convicto de que a digitalização tenha um “papel fundamental” neste processo de modernização.

“Serviços públicos comprometidos com o serviço público e com o servir. Isto quer dizer que é uma relação entre o servidor e o destinatário que são as pessoas lá fora, as empresas, as organizações, que dependem muito dos serviços prestados pelo Estado e que se façam com o máximo de eficiência, profissionalismo e o Governo está a criar condições para isto”, enalteceu o chefe do Governo.

Nesta lógica, o primeiro-ministro disse que esta modernização digital passa, inclusive pela diáspora, através dos consulados digitais, de modo que a informação chegue, também, à comunidade cabo-verdiana em tempo real.

Já a ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Edna Oliveira, referiu que durante cerca de 10 meses a sua equipa tudo fez para a implementação deste departamento governamental, criado na orgânica do Governo, comprometido com a racionalização das estruturas, mediante a racionalização dos seus serviços.

A governanta garantiu que estes serviços foram organizados em termos adequados para a dimensão especializada em que se enquadra a sua missão, que o quadro do pessoal foi elaborado com foco na valorização dos recursos humanos existentes, da capacidade técnica dos serviços e na garantia da estabilidade profissional dos trabalhadores vinculados nos projectos de investimentos.

A eliminação da precariedade ao nível do ministério com a aprovação da lei-de-base do emprego público foi anunciada pela governante como uma “preocupação” a se ter em conta, pelo que prometeu transitar para o regime de carreira todo o pessoal que desempenha funções permanentes em situações delicadas.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest