Uni-CV/Eleições: Maria de Lourdes Gonçalves quer promover uma política de universidade aberta e inclusiva

A candidata ao cargo de reitora da Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), Maria de Lourdes Gonçalves, prometeu esta terça-feira, 11, trabalhar para promover uma política de universidade “aberta, inclusiva e atenta” colocando os estudantes permanentemente no foco da acção universitária.

Sob o lema “Uma nova liderança com mais impacto social”, a candidata que fez hoje a apresentação oficial da sua candidatura, considera-se “apta” para liderar uma nova equipa com renovadas sinergias, encetar o diálogo com todos os parceiros e tirar conclusões práticas para liderar a Uni-CV na concretização dos seus objectivos de modo a cumprir a sua missão.

“Com mais e diversas competências e engajamento, apresento-me com as melhores propostas e soluções para juntos pensarmos, agirmos e fazermos as coisas acontecerem”, mencionou.

Prometeu dar uma “atenção especial” à elevação do conhecimento e progressão nas carreiras dos professores e dos funcionários, uma “justa reivindicação”, não apenas para conhecer o mérito e o esforço mantendo viva a ambição progressiva das classes, mas também para gerar melhores condições para que a Uni-CV possa continuar a avançar.

“Aos estudantes da Uni-CV que são a razão de ser no nosso trabalho, terei sempre um olhar atento às condições da sua integração na comunidade académica, observarei com interesse e disponibilidade de agir aos seus problemas necessidades e aspirações, reforçarei as condições para o fortalecimento da autonomia discente e promoverei uma política de universidade aberta, inclusiva e atenta colocando-vos permanentemente no foco da acção universitária”, assegurou.

Por outro lado, mostrou-se determinada em dotar a Uni-CV dos mais elevados padrões de qualidade e equidade para que se possa edificar um aperfeiçoamento global dos sujeitos em formação ou no desempenho das suas actividades profissionais.

Na linha desta função, garantiu que irá colocar o foco e energia numa “gestão equilibrada, dialogante, inclusiva e de proximidade de recursos humanos”, de modo a trabalhar na criação das melhores condições de trabalho, na valorização e dignificação de todas as carreiras e no combate à precariedade laboral no seio da instituição.

“Com a minha eleição, assumo desenvolver os estatutos da Universidade de Cabo Verde num contexto de mudança rápida e contágios globais da transformação digital e de demanda múltiplas, priorizarei a nível do ensino a modernização das ofertas formativas e o seu alinhamento com o mercado de trabalho e promoverei projectos pedagógicos inovadores com qualidade e excelência”, realçou.

Prometeu apostar no desenvolvimento do ensino das artes para substancializar o pilar da arte na Faculdade de Ciências Sociais Humanas e Artes e desenvolver a fileira do conhecimento e investigação em torno da indústria criativa e implementação de um observatório regional de indústrias criativas.

“Através da área da saúde, que já dispõe de cursos bem estabelecidos, trabalharei para edificar um campo de saúde que será composto pela implementação da Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde associando ao Hospital Universitário do estado e o Instituto de Medicina Legal”, acrescentou.

No seu entender, é preciso desenvolver um instrumento de identificação de vocações para a pesquisa científica entre os estudantes e a reunião de um conjunto de procedimentos de protecção e estímulo à constituição de carreiras científicas.

Afecta à Escola de Ciências Agrárias e Ambientais, Maria de Lourdes Gonçalves é Mestre em Ciências Sociais, pela Universidade de Cabo Verde, é Doutora em Desenvolvimento Rural pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Brasil) e desempenha função de pró-reitora para a extensão universitária da Uni-CV.

Nas eleições do dia 19 de Janeiro concorrem mais dois candidatos: Odair Varela e José Arlindo Barreto.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest