Uni-CV: Governo quer alinhamento formativo que cumpra os “desígnios” do desenvolvimento do país

O ministro da Educação, Amadeu Cruz, disse esta quinta-feira, 24, que o Governo espera do novo reitor da Uni-CV um alinhamento de oferta formativa que cumpra os “grandes desígnios” do País e do seu desenvolvimento económico, cultural e científico.

Amadeu Cruz fez essas considerações em declarações à imprensa, à margem do âmbito do empossamento do novo reitor da Uni-CV, José Arlindo Barreto, que teve lugar esta tarde no campus da Universidade de Cabo Verde, em Palmarejo.

“Estamos numa nova etapa de consolidação do Ensino Sperior em Cabo Verde e a Uni-CV é o pilar principal e mais robusto do sistema universitário no país, pelo que esperamos que haja condições para que continue a desenvolver as suas actividades de ensino, investigação e distinção”, afirmou.

O governante, que acredita que com estes propósitos a Uni-CV servirá o processo de desenvolvimento de Cabo Verde de forma geral e integral, espera que o novo reitor e sua equipa trabalhem no alinhamento de uma oferta formativa que cumpra os grandes desígnios do País e do seu desenvolvimento económico, cultural e científico.

Amadeu Cruz indicou ainda que o Governo está a resolver a reforma do Ensino Superior e da ciência, pelo que diz esperar que a instituição fortaleça o pilar da investigação, com base académico em primeiro lugar, para depois seguir com a investigação para desenvolvimento alinhado aos objectivos de desenvolvimento económico do País.

Na sua declaração, apontou a Universidade de Cabo Verde como a mais robusta de todas, onde opera mais de 120 doutores e um corpo docente qualificado com condições de garantir a qualificação no Ensino Superior.

Mas para isso, sustentou, vai ser preciso valorizar a carreira dos professores e investidores, um instrumento de trabalho que o Governo está a desenvolver para a aprovação do estatuto da carreira docente e da investigação da Uni-CV, e mais abrangente, de forma a haver uma legislação que oriente as instituições de Ensino Superior na valorização das carreiras.

Referindo-se à sustentabilidade económica e financeira da Uni-CV, destacou que mais de 40 por cento (%) dos gastos de funcionamento da instituição são suportados pelo Governo.

“É preciso consolidar as bases económicas e financeiras das universidades”, alertou, afirmando que o Governo deposita uma confiança “enorme” no novo reitor.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest