Aumenta consideravelmente a percepção sobre corrupção em Cabo Verde, revela estudo da Afrosondagem 

O nono inquérito do Afrobarometro revelou um aumento considerável de percepção da corrupção em Cabo Verde, com a Polícia Nacional referenciada pelos inquiridos como a instituição mais corrupta, enquanto as Forças Armadas afiguram-se como as mais credíveis. 

Segundos dados divulgados hoje por José Semedo, director-geral da Afrosondagem, instituição que lidera a equipa da Afrobarometro em Cabo Verde, houve um aumento considerável da percepção da corrupção no país em todas as instituições inquiridas em relação a 2019. 

A Polícia Nacional continua a liderar a lista das instituições apontadas por 25 por cento (%) dos cabo-verdianos como mais corruptas, seguida pela Assembleia Nacional (24%), pela Presidência da República e pelo primeiro-ministro. 

De acordo com estudos, 20% da população considera que a maioria ou todos os integrantes destas instituições estão envolvidas em atos de corrupção, sendo que 47% dos inquiridos consideram que houve aumento de casos de corrupção. 
Quanto ao desempenho das instituições, 72% dos cabo-verdianos avaliam, de forma positiva, o desempenho do Presidente da República em 2021, 60% em relação ao primeiro-ministro, ao passo que a performance baixa quanto ao desempenho da Assembleia Nacional, 47%. 

Já no que se refere à confiança nas instituições, as Forças Armadas continuam a ser a instituição que merecem maior confiança dos cabo-verdianos (70%), um aumento da classe de 10% comparativamente a 2019, seguida do Presidente da República com 65%, dos líderes religiosos com 64% e do primeiro-ministro com cerca de 60%, enquanto menos de metade, ou seja, 47% confiam na Assembleia Nacional, enquanto instituição. 

Quanto à avaliação do desempenho do Governo no combate à corrupção dentro da instituição governamental, a sondagem conclui que 43% dos cabo-verdianos avaliam negativamente o executivo nesta matéria, percepção da corrupção da população que, de acordo com José Semedo, tem vindo a aumentar desde 2011. 

“Cabe a todas as entidades públicas, não apenas o Governo, dar um sinal contrário à população de que realmente há combates às instituições”, frisou Semedo, para quem cabe às entidades públicas dissipar esta percepção da população, neste campo da corrupção nas instituições públicas.   

O nono inquérito sobre a qualidade da democracia e governação em Cabo Verde, realizado conjuntamente pela Afrosondagem e Afrobarometer, recolheu os dados entre 22 de Julho e 05 de Agosto de 2022, envolvendo 1200 indivíduos adultos, com 18 anos e mais anos de idades. 

A amostra é representativa a nível nacional e por meio de residência, contém uma margem de erro de aproximadamente 3% e um intervalo de confiança de 95%. 

A Afrobarometer é uma rede de pesquisa não-partidária que realiza pesquisas de opinião pública sobre democracia, governação, as condições económicas, e assuntos relacionados em cerca de 37 países na África. 

Entre 1999 e 2022 já foram realizadas nove séries de pesquisas sendo que a Afrobarometer realiza inquéritos cara a cara junto dos indivíduos nos agregados familiares escolhidos aleatoriamente, no idioma de escolha do entrevistado com amostras nacionalmente representativas. 

Em Cabo Verde, já foram realizados estes inquéritos nos anos de 2002, 2005, 2008, 2011, 2014, 2017 e 2019. 

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest