Autárquicas: Carlos Araújo quer ajuda do povo para alcançar autonomia de São Vicente

O candidato à Câmara Municipal de São Vicente Carlos Araújo almeja ter o povo do seu lado para alcançar a autonomia e provocar um “processo revolucionário” para ser a ilha a gerir a ilha.

O engenheiro electrotécnico, reformado, apresentou hoje a sua candidatura à imprensa, no Mindelo, e asseverou ter agora “melhor experiência” depois de em 2000 ter feito a primeira investidura como candidato da União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID).

Agora, como independente, garantiu ter sentido no terreno as motivações para continuar a sua “luta” que tem, como principal propósito, a autonomia de São Vicente.

“Em concreto, a autonomia vai ser a ilha a gerir a ilha. Depois da minha candidatura, o próximo candidato não vai ser candidato à presidência da câmara, mas vai ser candidato a governador ou a presidente da ilha”, esclareceu, com a ideia de ter no futuro “uma mudança completa”.

Segundo a mesma fonte, a referida autonomia terá de ser negociada com o Governo central e com a nação, através da Assembleia Nacional.

Instado sobre a necessidade de mudanças na Constituição da República para permitir a alteração do estatuto da ilha, Carlos Araújo admitiu que tal só será possível com a ajuda do povo.

“Chegando à câmara, vou unir o povo e é o povo que vai exigir porque nós temos um processo revolucionário e a revolução só é feita pelo povo, não é feita pelos partidos, não é feita pelos governos”, afiançou.

O candidato mostrou-se confiante em conseguir tal intento, mesmo perante a realidade de um parlamento que não deixou passar a proposta de regionalização de São Vicente.

A seu ver, o processo anterior não passou por ter sido conduzido “de forma errada”.

“O projecto da regionalização era um projecto caro que encarecia a governação de Cabo Verde e que trazia zonas de confusão, de conflitos. A autonomia não traz nada disto”, assegurou Carlos Araújo, para quem, haberá “uma mudança de pressupostos em que a ilha será capaz de assumir o seu destino”.

Entre as suas propostas eleitorais, o candidato ainda prometeu trabalhar para construir mais uma cidade em São Vicente, uma cidade turística que deverá situar-se na zona de Palha Carga.

Também a sua plataforma eleitoral propõe outras medidas para alavancar a ilha, aproveitando a força viva, que disse ser “extremamente grande”.

Por agora, confirmou estar “confiante” depois de já ter conseguido “mais de 500” assinaturas para oficializar a sua candidatura e de ter apercebido das pessoas e das situações nesta sua primeira fase no terreno.

Por outro lado, garantiu, já está a formar a sua equipa, inclusive com o nome do candidato a presidente da assembleia municipal, que, no caso, deverá ser uma mulher.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest