Autárquicas: PAICV trabalha para mostrar aos munícipes de São Miguel que existem outras alternativas, diz Rui Semedo

O presidente do PAICV, Rui Semedo, disse este domingo, 09, que o partido quer mostrar aos munícipes de São Miguel que há outras alternativas, em termos de candidatos, propostas, projectos e em termos de atitudes.

Este líder fez esta declaração à imprensa, no ato da apresentação dos candidatos à presidente da Câmara Municipal e da Assembleia Municipal de São Miguel (Sílvio Tavares e Edna Barros) aos militantes, amigos e apoiantes do partido no município, enfatizando que este também foi um momento para ouvir os candidatos no sentido de conhecer as suas propostas para o desenvolvimento deste município.

“A nossa aposta para São Miguel é uma só, é uma aposta de ganhar São Miguel”, destacou Rui Semedo, explicando que o município já está há muito tempo nas mãos de um único partido, desde logo num país que é democrático e que se orgulha do seu percurso democrático.

Neste sentido, defendeu que “a alternância política é fundamental para poder aproveitar todas as energias, todas as capacidades, todas as forças e a disponibilidade das pessoas”.

Aliás, o presidente do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) recordou que há uma certa altura, um líder do Movimento para Democracia (MpD) durante uma campanha eleitoral disse que “15 anos é demais” para um partido no poder.

Sendo assim, considerou que “se 15 anos é demais, 27 anos é mais do que demais”, sublinhando que o partido está a trabalhar para demonstrar São Miguel outras alternativas, argumentando que “São Miguel não tem conseguido fazer e aproveitar todas as capacidades que tem”.

“Precisamos de uma liderança com esta capacidade, com esta visão de poder aproveitar todas as forças, todas as capacidades, todos os recursos que São Miguel tem, todas as suas potencialidades para fazer o município marchar num ritmo mais acelerado”, defendeu.

Rui Semedo reconheceu que alguma coisa já foi feita no município, que este já conquistou e ganhou alguma coisa, mas diz também ser crítico o suficiente para afirmar que o que foi feito até agora “é pouco” para o tempo que já se percorreu, para os recursos disponíveis e para as pessoas que têm capacidade e disponibilidade para desenvolver São Miguel.

Por seu turno, o candidato do PAICV à Câmara Municipal de São Miguel, Sílvio Tavares, reforçou que o seu objetivo é conquistar este município santiaguense nas autárquicas deste ano para “quebrar o ciclo” de 27 anos de gestão local do MpD.

Enquanto empresário, cidadão e ativista social, Sílvio Tavares salientou que quer ver o concelho “numa outra perspetiva, com uma visão mais alargada e com participação dos cidadãos”.

Quanto à candidata para encabeçar a lista para a Assembleia Municipal (AM) de São Miguel, Edna Suzete Barros, professora de profissão e ativista social, o candidato à presidência da câmara considerou que ela “dá garantia em todas as dimensões, sobretudo sobre qual é o papel do presidente da AM”.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest