Baldé vai assinar pelo Barcelona reforçando raízes da Guiné Bissau no clube

O jovem futebolista de raízes na Guiné-Bissau, Alejandro Baldé, vai assinar um acordo que o manterá no Barcelona até 2026 e poderá já esta época ser parte da equipa principal.

O jornal Mundo Deportivo, considerado um dos mais bem informados sobre as actividades da equipa, disse que o contracto será provavelmente assinado na Quinta-feira na presença do director do clube Joan Laporta.


Como a Voz da América noticiou em Março Alejandro Baldé, filho de pai guineense e de mãe da República Dominicana, nasceu em Barcelona em Outubro de 2003 e juntou-se às equipas juvenis do clube catalão quando tinha apenas oito anos de idade em 2011.


Com a saída de Junior Fripo vendido ao Leeds United Baldé terá a oportunidade de estar na equipa principal como o substituto do veterano Jordi Alba embora se espere que a maior parte da época esteja preenchida na equipa B.


Baldé joga a defesa esquerdo mas é, segundo a imprensa espanhola, um jogador de “grande domínio de bola que aliado à sua alta velocidade permite-lhe superar rivais com grande velocidade”, tornando-o num substituto nato de Jordi Alba que, ocupa essa posição na equipa principal do Barcelona.


Na escola do Barcelona “La Masia”, há muito tempo quetinha sido “marcado com letras maiúsculas”, escreveu o jornal Sport, e Baldé jogou pelas selecções de Espanha de sub-16, sub-17 e sub18.


O Mundo Desportivo disse que o jogador tinha atraído a atenção do Milão e do Chelsea mas Baldé tornou claro que queria continuar com o Barcelona e seguir n via de ascender à equipa principal.


Raízes da Guiné crescem no Barcelona


Se Alejandro Baldé se juntar à equipa principal do Barcelona irá ter como companheiro outro jovem de ascendência da Guine Bissa­u, Ansumane Fati, que nasceu na Guiné Bissau onde estava a ter um inicio de carreira fulgurante na equipa antes de sofrer uma lesão num joelho em Novembro que o afastou dos campos.


Fati foi submetido a três operações ao joelho e está agora de regresso ao complexo desportivo do Barcelona onde a sua recuperação é seguida pelos médicos do clube que insistem que não se deve apressar o seu regresso.


Fati foi para Espanha quando tinha seis anos de idade.


Outro jogador de raízes africanas e que também vem das escolas do Barcelona é Ilaix Moriba, nascido na Guiné-Conacri que na época transacta j fez vários jogos pela equipa principal do Barcelona.


O médio Riqui Puig também vem das escolas do Barcelona pelo que Baldé não se sentirá isolado nesta renovação do Barcelona.

VOA

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest