Bolsa de Valores de Cabo Verde fecha sexta emissão de 2022 e ultrapassa 23 ME

Bolsa de Valores de Cabo Verde fecha sexta emissão de 2022 e ultrapassa 23 ME

A Bolsa de Valores de Cabo Verde concluiu hoje a sexta emissão de obrigações através do mercado de capitais de 2022, totalizando já a colocação recorde de mais de 23 milhões de euros.

O anúncio foi feito pelo presidente da Bolsa de Valores de Cabo Verde, Miguel Monteiro, após a apresentação dos resultados da sexta emissão, a favor do International Investment Bank Cabo Verde (iiBCV), que reforçou os fundos próprios através de um financiamento de 230 milhões de escudos (dois milhões de euros) pelo mercado de capitais, num empréstimo obrigacionista a 10 anos.

“Ou seja, com esta operação de 230.000.000 escudos, este ano já foram mobilizados cerca de 2,6 milhões de contos [2.600 milhões de escudos, 23,2 milhões de euros], em operações de financiamento obrigacionista. Reiteramos o nosso objetivo de atingir, pelo menos, 10 emissões até ao final do ano”, afirmou Miguel Monteiro.

A Bolsa de Valores de Cabo Verde registou até 2021 uma média de quatro emissões bolsistas anualmente, número ultrapassado já em oito meses de 2022, com seis emissões.

Segundo Miguel Monteiro, a capitalização bolsista atingiu no final de julho um novo recorde, superior a 104.566 milhões de escudos (935,6 milhões de euros), “fruto do esforço de todos os ‘stakeholders’, com especial destaque dos colaboradores da Bolsa de Valores de Cabo Verde”.

Essa capitalização bolsista – aproximação do valor de mercado das empresas e títulos – já tinha atingido no final do primeiro semestre os 103.080.108.951 escudos (921 milhões de euros), depois de em abril último a Bolsa de Valores de Cabo Verde ter ultrapassado pela primeira vez na sua história os 100 mil milhões de escudos (894 milhões de euros).

Paralelamente, a Bolsa de Valores de Cabo Verde e o iiBCV assinaram hoje um memorando de entendimento para potenciar o mercado de capitais cabo-verdiano.

“Representa a nossa ambição de inovar e trazer novos produtos financeiros ao mercado de capitais. Efetivamente, no Plano Estratégico 2021-2025, o primeiro eixo estratégico consiste na revisão e disseminação da proposta de valor com a aposta em novos instrumentos e serviços financeiros, fundos de investimento, papel comercial, desmaterialização de títulos, entre outros”, explicou o presidente da bolsa.

A Bolsa de Valores de Cabo Verde foi criada em maio de 1998 e conta ainda com quatro empresas cotadas, com destaque para o Banco Comercial do Atlântico (BCA, detido pelo grupo Caixa Geral de Depósitos) e para a Caixa Económica, e outras que emitem obrigações.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest