Bolseiros cabo-verdianos do programa YALI 2024 querem adquirir experiência para contribuir para desenvolvimento do país

Oito jovens cabo-verdianos das ilhas de Santiago, São Vicente, Sal e Santo Antão vão participar da 10.ª edição do programa Mandela Washington Fellowship do YALI, a partir de 19 de junho nos Estados Unidos da América.

Conectarem com outras culturas, adquirir novas habilidades e ideias inovadoras para contribuir para o desenvolvimento de Cabo Verde são os objetivos dos oito jovens líderes que vão representar Cabo Verde na 10.ª edição do programa Mandela Washington Fellowship YALI (Young African Leaders Initiative). Os cabo-verdianos foram recebidos esta sexta-feira, dia 17, pelo primeiro-ministro Ulisses Correia Silva, no Palácio do Governo. 

O programa que arranca a 19 de junho e vai até 27 de julho nos Estados Unidos da América conta com a representação de oito jovens de quatro ilhas, nomeadamente, Simone Spencer, Quelita Gonçalves e Keiver Cardoso de Santiago, Rosineida Lima do Sal, Ernany Oliveira e Sibel Fonseca de Santo Antão e Sebastian Kruse e Danila Silva de São Vicente. 

Em declarações à imprensa após o encontro, a jovem Rosineida Lima afirmou que esta oportunidade é muito importante porque vai permitir conectar com outros líderes africanos, onde vão compartilhar as suas culturas e criar networking para contribuir para a elevação do continente africano.

A jovem bióloga adiantou que o seu projeto é virado para a educação ambiental e desenvolvimento comunitário e espera aperfeiçoar os seus conhecimentos nesta área.

Por seu lado, o jovem empreendedor Sebastian Kruse disse que se sente orgulhoso por participar do programa YALI e representar Cabo Verde e a diáspora. “A minha expectativa é ganhar experiência e mostrar à população americana quem são os cabo-verdianos a partir dos nossos projetos em diferentes áreas. Em particular, o meu projeto tem a ver com saúde mental e tecnologia”.

O jornalista Keiver Cardoso também afirmou que se sente “muito feliz, grato e honrado” por fazer parte dos selecionados e que um dos seus objetivos é representar todos os jovens e sonhos de Cabo Verde.

“Sou o primeiro jornalista cabo-verdiano a ser beneficiado deste programa, é uma honra para mim, mas é muita responsabilidade representar Cabo Verde. O projeto que vou levar não tem a ver com o jornalismo porque tenho outra faceta que é a área do empreendedorismo na indústria de jogos”, adiantou.

Conforme o embaixador dos Estados Unidos, Jeff Daigle, nos últimos 10 anos o programa YALI contou com 56 representantes “fantásticos” de Cabo Verde e este ano estão com oito jovens de quatro ilhas com projetos em diferentes áreas. 

“Quando começamos o programa há 10 anos tínhamos só quatro jovens de Cabo Verde e nestes últimos anos duplicamos o número de participantes. A minha ambição desde da minha estadia em Cabo Verde é encorajar os jovens a participar do programa YALI e aprender o inglês para poderem beneficiar das oportunidades que aparecem”, acrescentou.

O Mandela Washington Fellowship é um programa que capacita jovens líderes africanos por meio de cursos académicos, treino de liderança e oportunidades de networking nos Estados Unidos da América.

Cidália Semedo/ estagiária

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest