Brava: Passageiros denunciam forma em que são feitas as viagens marítimas para a ilha

Um grupo de passageiros procurou a imprensa para denunciar as condições em que são realizadas as viagens marítimas do percurso Praia-Fogo-Brava, considerando tal facto como sendo “insustentável”.

Em declarações à imprensa, José Baptista, comerciante e emigrante bravense, porta-voz de um grupo de passageiros, contou que no passado sábado, 08 de Agosto, vivenciou na pele e ao vivo às condições que são feitas estas viagens, sublinhando que da Praia à ilha do Fogo, no navio Kriola, vieram 163 passageiros, sem contar a equipa da tripulação.

 

A mesma fonte questionou como pode ser possível “numa altura em que todas as lutas estão viradas para o combate da pandemia da covid-19, como é possível fazer viagem com a embarcação lotada, sem ar condicionado, num ambiente fechado e a maioria dos passageiros sem máscara?”.

 

“Esta situação já durou alguns dias, e depois o próprio Governo aparece a apresentar os dados dos novos casos se ele mesmo contribuiu para o aumento dos casos”, acusou José Baptista, realçando que é preciso analisar esta situação porque não está normal.

 

“Se não conseguem consertar o ar condicionado que suspenda as viagens ou arranjem novas alternativas”, disse o porta-voz, questionando qual a segurança e a protecção que o Governo está a oferecer aos cabo-verdianos durante as viagens, especificamente às marítimas.

 

Não obstante a esta situação, muitos passageiros estão a questionar o porquê de não haver passagens para crianças, causando vários constrangimentos às famílias e quem pretende viajar nas férias, pois quem quiser viajar para as ilhas Fogo e Brava, pelo menos até 21 de Agosto, não há lugar para crianças.

 

Sem ser disso, os passageiros que vão da ilha Brava para a cidade da Praia ou vice-versa estão a enfrentar várias dificuldades na aquisição das passagens, uma vez que o navio possui a capacidade de transportar 164 passageiros e, em média, 120 lugares são ocupados somente por passageiros que fazem o trajecto Fogo – Praia ou vice-versa.

 

Perante essas denuncias, a Inforpress tentou contactar a CV Interilhas, responsável pelo transporte de passageiros inter ilhas, mas, até o momento, não foi possível nenhum ‘feedback’.

 

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest