BVC: Capitalização bolsista aumenta para 60% do PIB no primeiro trimestre de 2021

A capitalização bolsista na Bolsa de Valores de Cabo Verde (BVC) aumentou para 60 por cento (%) do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre de 2021, conforme dados avançados ontem,24, pelo presidente da bolsa, Miguel Monteiro.

“Em termos de capitalização bolsista, no primeiro trimestre de 2021, isto é até Março, havia uma capitalização bolsista de 90 milhões de contos, equivalente a cerca de 60% do PIB, quando em 2020 era de 40 e tal por cento”, precisou.


Conforme Miguel Monteiro, essa situação se deveu a duas variáveis, nomeadamente a diminuição do PIB, por causa da pandemia, e ao aumento das emissões por parte do Estado.


“Exactamente por causa da pandemia, o Estado tem de ter mais financiamento e isso levou a que as duas variáveis, trabalhando em conjunto desse resultado a esse aumento da capitalização bolsista relativamente ao PIB”, explicou.


No mesmo período de 2020, ou seja, no primeiro trimestre de 2020 havia uma capitalização bolsista de 77,4 milhões de contos correspondente a 37,5% do PIB.


Entretanto, Miguel Monteiro adiantou que em termos de resultados líquidos, dados ainda não auditados indicam que 2020 foi o ano em que a BVC obteve o melhor resultado de sempre.


“O valor líquido foi superior a 26 mil contos, mas como disse são valores não auditados pelo poderão não ser definitivos”, realçou.


Apesar de ser um ano de crise, Miguel Monteiro lembrou que a bolsa continuou com a sua actividade normal, o Estado continuou a financiar-se através da bolsa, para além de outras entidades que continuaram a fazer o seu financiamento.


“Em termos de valor tivemos no ano de 2020 o valor de mercado primário de cerca de 15 milhões de contos e esse valor foi 14,5 milhões de contos a nível do Estado”, disse adiantando que a par do aumento das receitas, houve uma diminuição de custos levando a um resultado positivo.


Em termos globais a capitalização bolsista de 2020 foi de 81,2 milhões de contos, equivalente a 43,7%.


Para efeitos de capitalização bolsista são considerados todos os títulos admitidos à cotação, designadamente acções ordinárias, títulos do tesouro, obrigações municipais e obrigações corporate.


Dos 81,2 milhões de contos, 6,7 são referentes às acções ordinárias, 4,05 milhões ao seguimento obrigações diversas e 70,4 milhões de contos aos títulos de tesouro, que teve uma variação positiva de 9,2% face ao ano de 2019.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest