Cabo Verde abre domínio de Internet “cv” para currículos vitae de todo o mundo 

Cabo Verde abriu hoje o domínio de Internet do país (.cv) para registos a partir de qualquer parte do mundo, de olho no mercado global de serviços ligados aos currículos vitae e recrutamento.

“A expectativa é que este domínio possa servir todos os profissionais” a nível global, explicou à Lusa Opeyemi Awoyemi, presidente da Olacv, empresa cabo-verdiana ligada à Whogohost, da Nigéria, à qual foi concessionada a gestão do domínio.

O domínio tem a mesma sigla usada nas línguas mais faladas do mundo para fazer referência a currículos profissionais e a expectativa é que a partir de agora sejam criados endereços na Internet, por inúmeros serviços ligados a currículos e profissões, a terminar em “cv”.

Desta forma, Cabo Verde rentabiliza um ativo digital de que dispõe.

Os domínios ‘.cv’ estão à venda a partir de 1.000 escudos (cerca de 10 euros), através do portal olacv.com, que aceita diferentes formas de pagamento.

“[Num mundo com uma força de trabalho de 3,3 mil milhões de pessoas], acho que nunca um domínio, excetuando ‘.me’, teve tanto potencial como este”, referiu Awoyemi, empreendedor nigeriano que fez parte da equipa fundadora de um dos principais sites de recrutamento em África, Jobberman, e investe noutras atividades na Internet.

Atualmente, o domínio ‘.cv’ tem 3.500 registos, sobretudo associados às entidades sediadas em Cabo Verde, mas aquele responsável espera alcançar um crescimento exponencial a nível global.

“Mas, é preciso trabalho e não será de um ano para o outro: vai levar tempo”, referiu à Lusa.

Entre outros aspetos, o esforço envolve contactos com as maiores empresas de registo de domínios no mundo para passarem a incluir o domínio cabo-verdiano nas listagens que fornecem a quem procura nomes para os seus negócios ‘online’ ou outros sites.

“Também nos queremos focar no serviço de email”, ou seja, endereços pessoais “pendurados” em domínios terminados em ‘.cv’, além de outros serviços, que requerem garantias de “segurança e confiança”.

Edna Oliveira, ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública de Cabo Verde, registou um domínio ‘.cv’ com o seu nome durante uma demonstração na cerimónia de lançamento realizada hoje.

A governante promoveu a ideia do país como “plataforma, no meio do Atlântico, competitiva” na área digital, exportando serviços.

O servidor primário do domínio ‘.cv’ mantém-se em Cabo Verde, entregue à Agência Reguladora Multissetorial da Economia (ARME), que regula o setor das comunicações eletrónicas.

A abertura hoje concretizada surge na sequência do contrato de concessão assinado em julho de 2023 entre a ARME e a empresa nigeriana WhoGoHost, especializada em gestão de domínios, concretizando-se a operação através da Olacv, uma entidade de raiz cabo-verdiana criada para o efeito.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest