Cabo Verde compromete-se a melhorar desempenho para a redução do dióxido do carbono

 O Governo manifestou ontem, dia 29, o seu comprometimento na promoção de uma participação significativa de todos os sectores no processo do reforço de ação climática, visando melhorar o seu desempenho climático e na redução do dióxido de carbono.

O Executivo prometeu “fazer de tudo para contribuir para a necessária acção climática a nível global, de forma a melhor sair desta crise”, convicto de que o aumento do nível do mar também traga consequências devastadora para a economia azul, mormente num estado como Cabo Verde, com o mar a ocupar 99 por cento da sua área.

O ministro da Agricultura e Ambiente expressou esta posição governamental no encerramento do seminário, projeto de assistência da ICAO sobre a “construção da capacidade de Mitigação de CO2 na Aviação Internacional”, tendo afiançado que Cabo Verde foi o primeiro país africano a aderir à aliança para descarbonização dos transportes.

É que para Gilberto Silva, ainda que um pequeno Estado insular, Cabo Verde pretende ser um país relevante em matéria de ação climática, pois está determinado em contribuir para reduzir o dióxido de carbono (CO2) na aviação internacional.

Referiu que o seminário, considerado um sucesso pela organização, reveste-se de importância fundamental para a consolidação dos planos de ação da Organização Internacional da Aviação Civil (ICAO), alegando que se torna maior por se tratar do primeiro encontro presencial no âmbito deste projeto, dois anos depois de vários encontros virtuais por causa da pandemia da covid-19.

Por esta razão, avisou, “urge, de facto acelerar ações climáticas, para promover a mudança transformativa necessária para se aumentar a capacidade resiliência face aos choques externos relacionados com climas e catástrofes naturais, e para que junto às partes possam conduzir uma boa direção à ação climática no mundo.

Considerou que o engajamento dos estados-membros para a materialização da meta preconizada é de extrema importância, de forma a mostrar ao sector da aviação que as políticas internas estarão alinhadas e que apoiarão o cronograma global da aviação internacional, mediante a criação de bases para o investimento necessários para atingir à neutralidade.

O seminário teve por objeto melhorar a capacidade nacional dos estados beneficiários para desenvolver/atualizar e implementar um plano de ação para reduzir as emissões de CO2 da aviação internacional, de acordo com as recomendações da ICAO, da elaboração Planos de Ação para as emissões dos estados beneficiários, bem como a avaliação das medidas de mitigação selecionadas pelos Estados.

Cabo Verde, Benim, Botswana, Costa do Marfim, Madagáscar, Mali, Seicheles, Senegal, Ruanda e Zimbabué foram os dez estados participantes desta acção de capacitação promovida pela ICAO.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Pode gostar também

Deixe um comentário

Follow Us