Cabo Verde descarta possibilidade de acolher migrantes ilegais do Reino Unido

O Ministério dos Negócios Estrangeiros reagiu à notícia veiculada pela imprensa de que o governo do Reino Unido estaria em negociações com países como Angola e Cabo Verde para receber migrantes ilegais.

“O assunto nunca foi abordado e o Governo não aceita encetar qualquer negociação nesse sentido”. Esta foi a breve reação do governo, através do Ministério dos Negócios Estrangeiros – MNE, à notícia de que haveria negociações para Cabo Verde acolher imigrantes ilegais do Reino Unido.

A Voice of America que cita o o jornal The Times avançou hoje a notícia de que Angola e Cabo Verde integram uma lista de países que o Governo britânico admite abordar visando estabelecer acordos que permitem enviar migrantes ilegais de outros países. Alegadamente, Botsuana, Senegal, Tanzânia, Togo e Serra Leoa também estão na lista de potenciais países a serem abordados caso não seja aprovado o acordo com o Ruanda, que foi o primeiro país africano a aceitar receber “requerentes de asilo nos próximos cinco anos em troca de uma compensação financeira por parte das autoridades britânicas.

Os governos dos Marrocos, Tunísia, Namíbia e a Gâmbia terão rejeitado explicitamente negociações sobre esta matéria, de acordo com a mesma fonte, que não avança se, por exemplo, Luanda e Praia terão sido contactadas.

Um porta-voz do Executivo do Reino Unido, cujo nome não foi divulgado, disse à BBC que o Reino Unido “continua a trabalhar com uma série de parceiros internacionais para enfrentar os desafios globais da migração ilegal”, mas que “o seu foco atual passa por aprovar a lei do acordo com o Ruanda e implementar planos para decolar os voos o mais rápido possível”, avança a VOA.

As autoridades ruandesas aceitaram receber centenas de requerentes de asilo nos próximos cinco anos em troca de cerca de 400 milhões de libras, quase 550 milhões de dólares, diz a mesma fonte.

Balai Notícias c/ VOA

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest