Cabo Verde é um país de boa governança e transparência que coloca as pessoas no centro das suas preocupações – PR

O Presidente da República, José Maria Neves, reiterou hoje, em Bruxelas, Bélgica, que Cabo Verde é um país de instituições sólidas, credíveis e alicerçadas na “boa governança e transparência, que coloca as pessoas no centro das suas preocupações.

O chefe de Estado, que fez essas considerações na sessão de abertura da 15ª edição das Jornadas Europeias de Desenvolvimento, a decorrer na capital belga, afirmou que o arquipélago almeja um “crescimento inclusivo e ambientalmente sustentável”.

“As especificidades de Cabo Verde como pequeno estado insular e os avultados custos de infraestruturação inerentes, demandam por uma discriminação positiva, com soluções diferenciadas e inclusivas, apelando para a possibilidade de se consagrar uma atenção particular a um pacote de Investimento Global Gateway ÁfricaEuropa para os Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento, por um lado, e a adopção do Índice de Vulnerabilidade Multidimensional – MVI – como critério de acesso ao financiamento dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS- bem como medidas de facilitação do comércio e de alívio da dívida externa, por outro”, apelou Neves.

Lembrou que Cabo Verde é um país comprometido com a promoção e defesa da paz, do Estado de Direito, da legalidade internacional e dos Direitos Humanos, que aposta no multilateralismo e na busca de soluções negociadas para as questões globais e os diferendos.

Para José Maria Neves, o continente africano tem de acelerar o passo e romper com as amarras e os constrangimentos existentes, que limitam o seu processo de desenvolvimento, para poder desempenhar um “papel mais importante nesta nova ordem mundial em formação”.

Na sua perspetiva, África dispõe de recursos abundantes, terras aráveis, população jovem, dinâmica e talentosa, e uma diáspora cheia de competências.

“O continente tem instrumentos de acção, nomeadamente, a Agenda 2063, que tem de ser cumprida, apesar da fragilidade das suas instituições e da diversidade e da complexidade dos contextos, se quiser afirmar-se como parceiro forte e credível da União Europeia e de outros espaços geopolíticos”, indicou o Presidente da República.

Na sua intervenção, José Maria Neves reafirmou, ainda, a importância do aprofundamento das relações económico-comerciais entre Cabo Verde e a União Europeia, com destaque para o pilar da convergência técnica e normativa e a dinamização de acções nas áreas da economia azul e verde, digitalização, crescimento inclusivo e emprego, saúde e investigação.

“Sempre é possível inovar quando existe vontade política e confiança entre as partes”, indicou José Maria Neves.

“Cabo Verde realça a importância da iniciativa relativa ao estabelecimento de parcerias diferenciadas da União Europeia com os países de rendimento médio, no quadro desta nova abordagem desenvolvimentista da União, e reitera o seu profundo interesse em participar activamente nesta iniciativa”, apontou o chefe de Estado, que realçou a importância  do reforço das acções conjuntas nos domínios da segurança e estabilidade atendendo aos desafios securitários crescentes na região oeste-africana, bem como no Golfo da Guiné.

“Os laços de Cabo Verde com a União Europeia e os seus Estados-membros remontam aos tempos da independência e foram-se revelando essenciais para o desenvolvimento do meu país”, salientou José Maria Neves, para quem estas relações foram crescendo e amadurecendo a ponto de ter atingido, em 2007, com a Parceria Especial, “um patamar qualitativamente diferente, graças ao reforço da credibilidade e da imagem internacional do país”.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us