Caixa Geral de Depósitos à espera do Governo português para relançar venda em Cabo Verde

A Caixa Geral de Depósitos aguarda a ‘luz verde’ do Governo português para relançar o processo de alienação de um dos bancos que a instituição financeira tem em Cabo Verde, esperando que a decisão do executivo possa acontecer em agosto.

“Estamos à espera que o Governo materialize o seu entendimento de que no fundo seria de relançar o processo em Cabo Verde e esperar por desenvolvimentos no processo no Brasil”, disse hoje o presidente executivo da Caixa Geral de Depósitos (CGD), Paulo Macedo, na conferência de imprensa de apresentação dos resultados semestrais da instituição.

Questionado pelos jornalistas sobre o tema, Paulo Macedo disse esperar que tal aconteça “no mês de agosto”.

“Parecendo que é relativamente pacífico que não tem qualquer sentido a Caixa ter dois bancos em Cabo Verde e havendo interessados no processo, este seja rapidamente despachado. Mas o ‘timing’ [prazo] será o Governo que o definirá”, disse.

A CGD tem participação em dois bancos em Cabo Verde: o Banco Comercial do Atlântico (BCA) e no Banco Interatlântico.

O presidente do conselho executivo do BCA afirmou à Lusa, em maio, que está em curso uma “reflexão” da CGD sobre a saída da estrutura acionista daquele banco, o maior em Cabo Verde.

A CGD, detida pelo Estado português, anunciou em 2019 um processo de venda da participação no BCA, no âmbito do plano de reestruturação aprovado pela Comissão Europeia, optando por ficar no mercado cabo-verdiano apenas com o Banco Interatlântico, mas a pandemia de covid-19 acabou por condicionar todo o processo, que não avançou.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us