Câmara Municipal da Praia promove conversa aberta sobre maternidade atípica e os seus desafios

A Câmara Municipal da Praia promoveu hoje na Cidade da Praia uma conversa aberta sobre a maternidade atípica e os desafios no cuidado e proteção das crianças com necessidades especiais, destinada às mães das crianças com deficiência.

A directora de Gestão de Reabilitação Psicossocial e Reinserção Social da Câmara Municipal da Praia, Suely Carvalho, em declarações à imprensa, avançou que é fundamental observar as particularidades da maternidade que reservam a esta mãe desafios acrescidos quando se trata de uma criança com deficiência.

Segundo a mesma fonte, o papel ainda é mais desafiador porque além das questões da paridades, gerar e amamentar a criança e do pré-natal, é preciso acompanhar a criança durante toda a sua trajectoria, o que obriga o suporte necessário na saúde mental da mãe.

“Para a Casa Primavera é por isso que consideramos que é acrescido e especial porque estamos a falar de mães solteiras que pai abandonou quando ela teve uma criança com necessidade especial. Porque ele negou e rejeitou a criança e não comparticipar na sua vida” explicou, defendendo uma maternidade não romantizada.

Diferente das outras crianças que exigem da mãe esforços nos primeiros anos de vida, segundo Suely Carvalho, os cuidados às crianças com necessidades especiais são maiores quando começam a desenvolver, uma luta diária para a mãe.

“É fundamental trazer esta reflexão hoje para as mães entenderem que não estão sozinhas que existe uma rede de resposta e que nós não cuidamos apenas da reabilitação, mas também de tudo que é saúde mental, desde a questão do espaço e de ter um tempo para ela mesma” precisou, realçando que a descriminação e o estigma afligem e dificulta neste processo.

Os dados do World Maternal Mental Health Day (WMMHD) estimam que sete em cada dez mulheres ocultam ou minimizam os sintomas de depressão e ou doenças mentais durante a gestação e ou logo após o parto.

Segundo a mesma fonte a nível mundial 10 por cento (%) das mulheres grávidas e 13 % das mulheres que acabaram de se tornar mãe sofrem de algum distúrbio mental principalmente a depressão.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest