Campeonato Nacional: Gogol trouxe os golos do banco e deu o empate (2-2-) à Académica ante Rosariense

A Académica do Mindelo e o Rosariense empataram hoje a dois golos, em jogo da primeira mão das meias-finais do campeonato de Cabo Verde, em futebol, após o Rosariense estar a vencer por 2-0 até ao minuto 89.

O jogo foi disputado no Estádio Adérito Sena, no Mindelo, e os golos do Rosariense foram apontados por Tucim, aos 44 minutos da primeira parte, e por Nuno, no primeiro minuto da etapa complementar.

A Académica do Mindelo respondeu com um bis do avançado Gogol, aos 89 e 91 minutos de jogo, ele que começou o jogo no banco de suplentes.

Na primeira parte, o jogo começou com ritmo elevado, bola solta nos dois meios campos, dir-se-ia que as duas equipas estavam a encaixar-se uma na outra.

Contudo, desde o primeiro instante,  o Rosariense mostrou ao que vinha: pressão alta ainda na primeira fase de construção da Académica do Mindelo, um sistema 4x1x4x1 com muita entreajuda e solidariedade entre os sectores, sobretudo no miolo do terreno.

A Académica percebeu rapidamente que tinha de jogar pelos flancos e a equipa procurou responder com passes longos,  ora para a direita, ora para esquerda, mas sem a eficácia registada, por exemplo, na primeira parte do jogo com o Botafogo, da semana passada.

Ora, a tudo isto deve-se juntar o factor vento, que soprou com muita intensidade, e que, com certeza, interferiu no ritmo e andamento de jogo das duas formações.

Só aos 11 minutos,  surgiu o primeiro remate digno desse nome do jogo, que pertenceu a Ady, do Rosariense, e a Académica do Mindelo respondeu aos 15 e aos 16 minutos com dois lances que levaram perigo à baliza de Lampada, do Rosarienese, e aos 25, Tucim, num remate surpresa atirou ao lado.

No melhor momento da Académica do Mindelo na primeira parte, à passagem dos 27 minutos, Di Maldini em boa posição, na área do Rosariense, não acertou na bola, e, aos 39 minutos, oportunidade desperdiçada por Tchuquim, da Académica, que na pequena área, com a baliza deserta, conseguiu acertar … no poste, após excelente jogada de Mica.

Só que no futebol quem não marca habitualmente sofre e, a um minuto do fim da primeira parte, na sequência de um livre apontado por Oceano, Tucim,  na pequena área da Académica,  cabeceou para o fundo das redes, fazendo o 1-0 para o Rosariense, resultado ao intervalo.

A segundo parte começou da melhor forma para o Rosariense, que logo no primeiro minuto silenciou o Estádio Adérito Sena, quando Nuno, a passe de Oceano, ao aperceber-se do adiantamento do guarda-redes Piduca, da Académica, fez um golo de belo efeito, ou seja, o 2-0 para o Rosariense.

Com este “balde de água fria”, o treinador da Académica arriscou tudo, retirou defesas e médios e mandou para o jogo os avançados que tinha no banco, é certo que a equipa da casa avolumou as investidas atacantes, inclusive com algumas boas situações de concretização, mas, manda a verdade dizer, o Rosariense nunca se desposicionou, pois trazia a lição muito bem estudada e, também, teve as suas chances de concretização na segunda parte.

Só que não contava, no finalzinho, com Gogol, que saiu do banco para “transtornar” os objectivos da equipa da Povoação da Ribeira Grande.

Pois, a um minuto do fim, a Académica tirou proveito do risco, Gogol, na pequena área desviou para o fundo das redes da baliza guardada por Lampada, fazendo o 1-2, e, dois minutos depois, o mesmo Gogol, agora de antologia, com a parte de fora do pé direito, no bico da área esquerda da forma como atacava a Académica, desfeitou Lampada para o 2-2, resultado final, embora o guarda-redes tenha-se revelado trapalhão na abordagem do lance.

Ou seja, Gogol veio do banco com os golos, e deixou a eliminatória em aberto para a segunda mão e se transformou no homem do jogo.

As duas equipas voltam a defrontar-se no próximo fim-de-semana, em jogo da segunda mão das meias-finais, desta vez no Estádio João Serra, na Ponta do Sol, Santo Antão, mas empatadas a dois golos.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest