CAN’2023: Três lusófonos no comando técnico de três das quatro seleções do Grupo B

O CAN’2023 conta com duas seleções e três treinadores lusófonos num só grupo (B), uma vez que o português Rui Vitória comanda o Egipto, juntando-se a Bubista e Chiquinho Conde como treinadores de Cabo Verde e Moçambique, respectivamente.

A 34ª edição do Campeonato Africano das Nações (CAN’2023), que arranca no sábado, 13, vai contar com quatro seleções lusófonas, designadamente Cabo Verde, Moçambique, Guiné Bissau e Angola, para além da Guiné Equatorial que é membro da Comunidade dos Países de Língua Oficial Portuguesa (CPLP).

Uma reportagem da Confederação Africana de Futebol (CAF), organizadora do evento, destaca o selecionador de futebol cabo-verdiano, Pedro Brito, Bubista, que conseguiu o segundo apuramento de Cabo Verde para a maior montra do desporto africano.

Outrora capitão da seleção de Cabo Verde, onde disputou 28 jogos como defesa, o técnico de 54 anos está no comando de Cabo Verde desde 2020 e esta será a sua segunda presença.

Cabo Verde, assim como Moçambique, encontra-se num grupo considerado “muito difícil”, com os anteriores vencedores Gana e Egipto.
Outra seleção lusófona nesta poule é Moçambique, que tem como selecionador o moçambicano Chiquinho, referenciado como um dos homens-chave na história do futebol deste país da CPLP, como jogador e treinador.

Como jogador, Chiquinho passou grande parte dos seus anos jogando em Portugal por clubes como SC Braga, Sporting, entre outros, tendo participado em três torneios do CAN pela seleção de Moçambique.

Já a seleção nacional do Egipto, apesar de ser da região do Magrebe entra na história desta edição do CAN pelas mãos do técnico português Rui Vitória, contratado para ser o treinador principal dos faraós em 2022.

Antes de ingressar no Egipto, Rui Vitória passou pelo “gigante português” Benfica, onde conquistou a tripla coroa nacional na primeira temporada e seguiu em frente para defender a primeira divisão portuguesa na temporada seguinte.

Apesar de ser uma cara nova no continente, o internacional português, de acordo com a CAF, tem tudo para se apresentar num grande palco da Taça Africana das Nações, com uma seleção já apontada como candidata ao título.

Das quatro seleções que constituem o Grupo B, a equipa nacional do Gana, outro sério candidato ao título, é a única que não tem “sotaque” lusófono nesta 34ª edição do CAN e promete acabar com uma longa seca de títulos.

Para liderar esta campanha, está Chris Hughton, de 65 anos, nascido na Inglaterra, que foi nomeado treinador principal após a Copa do Mundo FIFA de 2022.
Chris, apesar de sua rica experiência na Premier League inglesa, nunca esteve antes no CAN.

O ex-jogador do Tottenham, West Ham e Brentford espera escrever história na Costa do Marfim.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest