Centrais térmicas garantiram 82% da produção de eletricidade em Cabo Verde

Centrais térmicas garantiram 82% da produção de eletricidade em Cabo Verde

Quase 82% da eletricidade produzida em 2021 em Cabo Verde pela Electra foi garantida através de centrais térmicas, mas mais de um quarto foi dada como perdida, ficando por faturar, segundo o relatório e contas do grupo estatal.

De acordo com o documento, a que a Lusa teve hoje acesso, o grupo Electra produziu em 2021 um total de 441,6 GigaWatts-hora (GWh) de energia, sendo 81,7% de origem térmica, 16,7% eólica e 1,5% solar.

Globalmente, trata-se de um aumento de produção de 5,3%, face a 2020, impulsionado pelo parque eólico do grupo em São Vicente, em 15,4%, e pelos dois parques solares (Santiago e Sal), em 4,5%, enquanto as 14 centrais térmicas espalhadas pelo arquipélago produziram mais 3,5%.

“Constata-se um aumento da produção de eletricidade em torno de 13,9% na ilha do Sal, a ilha mais afetada pelo impacto da crise originada pela pandemia covid-19”, destaca-se no relatório e contas, sendo aquela a ilha mais turística do país.

O Governo cabo-verdiano aprovou um plano que prevê a meta de 30% de produção de eletricidade através de fontes renováveis até 2025 e mais de 50% até 2030, face aos atuais cerca de 20%, essencialmente produzida através de parques eólicos, incluindo os de operadores externos ao grupo Electra.

A empresa destaca que as perdas de eletricidade globais, técnicas e não técnicas – sobretudo furto -, em todo o país, atingiram em 2021 os 112,432 GWh, representando 25,5% da produção, ainda assim uma descida face aos 26,1% dados como perdidos em 2020.

“Os níveis de perdas e dívidas de clientes continuam a constituir dos principais constrangimentos da empresa que, deste modo, se vê privada de importantes recursos. No período em apreço registou-se uma diminuição de 0,6 pontos percentuais das perdas globais de eletricidade (…) Este registo é claramente alavancado pelas perdas na ilha de Santiago, que continuam em patamares muito elevados, situando-se em 87,4 GWh (34,6%) da produção e representando 78% das perdas a nível nacional”, alerta o conselho de administração, na mensagem que consta no relatório e contas de 2021.

Já o nível de produção de água por parte do grupo Electra aumentou ligeiramente em 2021, para quase 8.688 mil metros cúbicos, incluindo através de três centrais de dessalinização.

O grupo Electra realizou em 2021 vendas globais de eletricidade ao consumidor de mais de 7.061 milhões de escudos (64,5 milhões de euros) e de água de quase 1.445 milhões de escudos (13,2 milhões de euros).


Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest