Comando da PN de Santiago Sul e Maio promete “atenção especial” ao quadro pandémico

Comando da PN de Santiago Sul e Maio promete “atenção especial” ao quadro pandémico

O Comando Regional da Polícia Nacional (PN) de Santiago Sul e Maio através do plano de segurança que visa estabelecer linhas orientadoras e primícias operacionais implementados durante este período da campanha eleitoral, promete atenção especial ao quadro pandémico.

Estas considerações foram feitas hoje à Inforpress pelo subcomissário Nataniel Silva, tendo apelado à população, uma vez mais, a um “cumprimento integral” das medidas e orientações das autoridades, relativamente ao cumprimento das medidas sanitárias, para fazer face à pandemia da covid-19.

Nataniel Silva destacou, de igual modo, especialidades e serviços que conta com missões específicas, dentro as quais a segurança pública, com intensificação de patrulhamento auto e apeado nas áreas de jurisdição do Comando, com especial atenção para as sedes de campanha e residências dos candidatos, a fim de persuadir qualquer intenção ou tentativa de perturbação da ordem pública, o trânsito, as comunicações e os transportes.


Impedir a aglomeração de pessoas, através de mecanismos de persuasão, com sensibilidade política contrário nas proximidades das sedes de campanha para evitar conflito que podem resvalar para vias de facto, bem como reforçar vigilância para evitar actos de vandalismo e destruição de material de campanha dos partidos opositores, fazem parte também de especialidades com missões específicas.


De entre outros, o subcomissário destacou, ainda, a promoção da protecção de objectos e locais sensíveis, como por exemplos serviços públicos, igrejas, empresas de abastecimentos de combustível, água e electricidade, proteger as residências dos altos dirigentes da Nação em coordenação com o Corpo de Protecção de Entidades.


Em meios humanos, informou a mesma fonte, o Comando dispõe de um efectivo com um total de 407 elementos policiais, ressaltando que este número de efectivo “dá garantias” e que ainda podem contar com o apoio de outras unidades e serviços, sobretudo no dia das eleições.


Segundo Nataniel Silva, a repressão só deve ser utilizada como “último rácio”, quando esgotados todos os mecanismos de persuasão.


Ainda assim, acrescentou, a atuação deve ser ponderada, observando os princípios de necessidade, de adequação e de mínima intervenção, sem escorar a firmeza da decisão Entidades.


Inforpress/Fim

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Pode gostar também

Deixe um comentário

Follow Us