Combates intensificam em torno da central nuclear da Ucrânia

As tensões permanecem altas em torno da central nuclear de Zaporizhzhia, na Ucrânia, onde autoridades acusam as forças russas de…

O operador da central informou que a instalação estava em risco de violar os padrões de radiação, após um aumento no fogo de foguetes e em torno da maior central nuclear da Europa, na última semana.

A operadora de energia nuclear ucraniana Energoatom disse que a estação de nitrogênio-oxigênio, a estação de bombeamento de esgoto doméstico e o prédio auxiliar combinado foram seriamente danificados durante o bombardeio, bem como “três sensores de monitoria de radiação”.

O operador disse que o corpo de bombeiros localizado fora da central foi atingido.

Autoridades também disseram que um projéctil atingiu um transformador de energia, ameaçando a rede elétrica do país.

Risco real

O chefe da Agência Internacional de Energia Atômica disse que há “um risco real de desastre nuclear” a menos que os combates parem e os inspectores sejam permitidos dentro da instalação.

A Rússia e a Ucrânia acusaram-se mutuamente de disparar armas perto da fábrica.

As Nações Unidas pedem acesso imediato a uma central nuclear, como autoridades ucranianas disseram que as forças russas dispararam mais de 40 foguetes contra a cidade de Marhanets, que fica do outro lado do rio Dnieper da usina.

As forças russas que ocupam a usina foram acusadas de usá-la como escudo para disparar contra posições do exército ucraniano. Fortes bombardeios em áreas próximas à central foram reportados, nas últimas duas semanas.

Soldados russos controlam a instalação, mas a equipa ucraniana continua a operar.

“Sabemos que os russos estão lá há algum tempo. Também sabemos que os russos dispararam artilharia, acho que especificamente foguetes, ao redor da central”, disse uma autoridade militar dos EUA a repórteres na sexta-feira, refutando as alegações russas de que a central era alvo das forças ucranianas.

Estado terrorista

Em outros combates em todo o país, a Rússia anunciou que os  seus soldados assumiram o controlo total, no sábado, de Pisky, uma vila nos arredores da região de Donetsk, na Ucrânia, de acordo com a Interfax citando o Ministério da Defesa russo.

Forças russas e pró-russas haviam informado que haviam assumido o controlo total de Pisky, há mais de uma semana. O ministério também disse que as forças russas destruíram um sistema de foguetes HIMARS fornecido pelos EUA perto da cidade de Kramatorsk, no leste da Ucrânia, e um depósito com munição para o sistema, reportou a Interfax.

O bombardeio russo teria morto dois civis em Kramatorsk, a última grande cidade sob controle ucraniano na região de Donetsk.

Enquanto isso, o presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy instou os Estados Unidos e outros países a rotular a Rússia como um estado patrocinador do terrorismo, dizendo no seu discurso em vídeo, na sexta-feira: “Depois de tudo o que os ocupantes fizeram na Ucrânia, só pode haver uma abordagem à Rússia – como um estado terrorista.”

Um alto funcionário russo disse que os laços entre Moscovo e Washington seriam seriamente prejudicados se o Senado dos EUA aprovasse uma lei rotulando a Rússia como um estado patrocinador do terrorismo.

A acção seria “o dano colateral mais sério para as relações diplomáticas bilaterais, a ponto de rebaixar e até mesmo rompê-las”, escreve a agência de notícias russa Tass, citando Alexander Darchiyev, chefe do departamento dos Estados Unidos no Ministério das Relações Exteriores da Rússia.

O conselheiro presidencial ucraniano Mykhailo Podolyak disse, no sábado, que a guerra só pode terminar com a devolução da península da Crimeia e a punição dos líderes russos que ordenaram a invasão militar.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us