Covid-19: Brasil regista segundo maior número de casos desde o início da pandemia

Covid-19: Brasil regista segundo maior número de casos desde o início da pandemia

O Brasil, um dos países mais afetados pela covid-19 no mundo, registou 137.103 novas infeções por coronavírus nesta terça-feira, 18, o segundo maior número de casos num dia desde o início da pandemia, informou esta terça-feira o Governo do país.

O país não registava um número tão alto de infeções diárias desde 18 de setembro do ano passado quando contabilizou 150.110 casos num dia, mas naquela ocasião o número foi inflado pela inclusão de milhares de casos de semanas anteriores que não haviam sido atualizados nos sistemas do Ministério da Saúde brasileiro.

O número de casos diários no Brasil se multiplicou 80 vezes nas últimas duas semanas, passando de 1.720 em 2 de janeiro para 137.103 notificações nesta terça-feira, salto que tem sido relacionado a rápida disseminação da estirpe Ómicron do vírus SARD-CoV-2, causador da covid-19, no país.

Com a alta dos casos nos últimos dias a média móvel de infeções no Brasil ficou em 83.205 notificações diárias, a maior desde o início da pandemia.

A média móvel de infeções saltou 2.592,7% nas últimas quatro semanas, passando de 3.090 casos por dia em 23 de dezembro, quando caiu para o menor nível em 20 meses graças ao avanço da campanha de vacinação, para o recorde de 83.205 infeções diárias registado nessa terça-feira.

Especialistas avaliam que disseminação do Ómicron, estirpe mais contagiosa e que já é predominante no país, será responsável por mais de 90% dos novos casos.

Oficialmente, porém, o Governo brasileiro contabilizou apenas 846 casos confirmados de coronavírus provocados pela Ómicron e informou que está a investigar outras 1.060 infeções.

O Ministério da Saúde brasileiro destacou também que o país registou 23.211.894 casos de covid-19 desde o início da pandemia.

O número de óbitos provocados pela doença também vem crescendo nos últimos dias no país sul-americano, também impulsionado pela Ómicron, mas em proporções menores.

O número de mortes nesta terça-feira foi o maior dos últimos dois meses com a notificação de 351 óbitos, elevando para 621.517 o total de vítimas fatais da covid-19 no país.

A campanha de vacinação já permitiu a imunização com duas doses ou aplicação de vacina em dose única em cerca de 147,8 milhões de brasileiros, 69,4% dos 213 milhões de habitantes do país.

A covid-19 provocou 5.543.637 mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

Uma nova variante, a Ómicron, classificada como preocupante e muito contagiosa pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral e, desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta em novembro, tornou-se dominante em vários países, incluindo em Portugal.

 

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest