Covid-19: Cabo Verde recebe 31.200 doses da vacina pela Covax nos próximos dias – ministro

Cabo Verde deverá receber este mês 31.200 doses da vacina contra a covid-19 pelo mecanismo Covax e espera 300.000 doses fornecidas pela China, para acelerar o processo de vacinação, disse à Lusa o ministro da Saúde.

“Não é uma solução forçada. Criámos o Ministério das Comunidades, este Ministério justifica-se”, começou por responder Ulisses Correia e Silva, em declarações aos jornalistas, na cidade da Praia, no final da tomada de posse do novo Governo.


“Se nós temos uma diáspora que tem mais população do que a população residente, se essa diáspora tem um potencial económico muito forte, um potencial cultural muito forte, então por que não criar um Ministério que seja um elemento de contacto direto, de aplicação, definição de políticas relacionadas com essa mesma diáspora?”, completou.


Segundo Ulisses Correia e Silva, questiona-se se esse Ministério não deveria continuar dentro dos Negócios Estrangeiros, mas explicou que “as comunidades imigradas não são estrangeiras” e que se deve ter uma abordagem que seja muito mais do que meros serviços consulares.


“Queremos ir mais além na nossa relação com as comunidades, quer do ponto de vista económico, da atração de investimentos, da atração de conhecimento e capacidades, reforçar a identidade e a cultura cabo-verdiana no exterior”, apontou.


Para o chefe do Governo, há muito trabalho a ser feito com a diáspora cabo-verdiana, cujo Ministério, disse, terá pela frente alguém com “capital político, com experiência política, que já desempenhou altos cargos no país, o que só valoriza essa mesma opção”.


A maior novidade do novo elenco governativo é mesmo Jorge Santos, que deixou o cargo de presidente da Assembleia Nacional para assumir as funções de ministro das Comunidades.


Por falta de entendimento com a bancada parlamentar do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição), que criticou fortemente a atuação de Jorge Santos enquanto presidente da Assembleia Nacional (segunda figura do Estado) na legislatura anterior, o Movimento para a Democracia (MpD), vencedor das eleições legislativas de março último, recuou na intenção de o recandidatar ao cargo.


A avançou com o nome do deputado Austelino Correia, até agora primeiro vice-presidente do parlamento cabo-verdiano, e que foi eleito presidente da Assembleia Nacional com 64 votos favoráveis, quatro votos contra e quatro abstenções.


O novo Governo contará, além do primeiro-ministro, com 18 ministros (incluindo um vice-primeiro e dois ministros de Estado) e nove secretários de Estado, contra os 15 ministros e quatro secretários de Estado que, também com Ulisses Correia e Silva, iniciaram a legislatura anterior, em abril de 2016, com o número de mulheres a subir de quatro para nove.


O novo elenco mantém Olavo Correia como vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças e do Fomento Empresarial e Fernando Elísio Freire como ministro de Estado, da Família, Inclusão e Desenvolvimento Social.


A quarta figura da hierarquia governativa passa a ser Janine Lélis (anterior ministra da Justiça e do Trabalho), promovida a ministra de Estado, além de assumir agora as pastas da Defesa e da Coesão Territorial.


Rui Alberto Figueiredo Soares mantém-se como ministro dos Negócios Estrangeiros, Cooperação e Integração Regional, na Administração Interna continua Paulo Rocha, na Educação mantém-se Amadeu Cruz e na Saúde Arlindo do Rosário, enquanto na Cultura e Indústrias Criativas segue Abraão Vicente, embora deixando de ter a tutela da Comunicação Social.


A tutela desta área “fica com o primeiro-ministro e terá o secretário de Estado adjunto, Lourenço Lopes, como elemento do Governo que fará as relações com a imprensa e com, nomeadamente, os órgãos de comunicação social do Estado”, explicou Ulisses Correia e Silva.


Para o Ministério da Justiça entra Joana Rosa (até agora líder parlamentar do MpD) e a ministra da Presidência do Conselho de Ministros passará a ser Filomena Gonçalves, enquanto para o Ministério da Modernização do Estado e da Administração Pública entra Edna Oliveira.


No Turismo e Transportes mantém-se como ministro Carlos Santos, no Ministério do Mar Paulo Veiga, no Ministério da Agricultura e Ambiente Gilberto Silva, no Comércio, Indústria e Energia Alexandre Dias Monteiro e no Ministério das Infraestruturas, Ordenamento do Território e Habitação Eunice Lopes, enquanto Carlos Monteiro é promovido de secretário de Estado a ministro-adjunto do primeiro-ministro para a Juventude e Desporto.


Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest