Covid-19: Cabo Verde vai estudar efeitos da pandemia na saúde mental

O Instituto Nacional de Saúde Pública (INSP) de Cabo Verde vai analisar os efeitos da pandemia de covid-19 na saúde mental dos cabo-verdianos, através de um estudo em todos os 22 municípios do país, foi hoje anunciado.

De acordo com fonte do INSP, trata-se de um estudo de âmbito nacional a realizar através de uma amostra de 3.520 indivíduos escolhidos de forma aleatória para “se conhecer o impacto psicológico e social da pandemia da covid-19 e das medidas restritivas na população cabo-verdiana”.


“E, portanto, fornecer informações científicas para adotar, adaptar e implementar políticas de intervenção eficientes e eficazes”, acrescenta a fonte.


O estudo é realizado pelo INPS, com o apoio do Ministério da Saúde, da Organização Mundial da Saúde, Nações Unidas e Instituto Nacional de Estatística, e vai analisar as respostas aos questionários individuais, feitos no terreno de 24 a 28 de maio.


“As recomendações da Organização das Nações Unidas e da Organização Mundial da Saúde indicam claramente que a covid-19 e todas as medidas restritivas impostas para travar a propagação do vírus têm e terão efeitos, diretos e indiretos, na saúde mental das populações afetadas”, recorda ainda a fonte, a propósito da importância da realização deste estudo.


Cabo Verde viveu um período inicial, em abril e maio de 2020, de estado de emergência, com o encerramento de empresas e o confinamento da população, que se seguiu a medidas como distanciamento social, proibição do acesso às praias, uso obrigatório de máscara de proteção facial, inicialmente em espaços fechados e depois, desde outubro, também na via pública.


Ainda restrições ao funcionamento de restaurantes, de espaços desportivos e culturais, encerramento de templos e obrigação de realização de testes de despiste à covid-19 nas viagens aéreas e marítimas entre as ilhas do arquipélago, além várias outras medidas ainda em vigor para travar a transmissão.


Cabo Verde estava a registar valores máximos de novos infetados consecutivos desde 31 de março, com quase todos os dias acima de 200 e até ao pico de 417 casos em 05 de maio, quando o máximo anterior a este período foi de 159, em 11 de outubro de 2020.


Esta tendência inverteu-se nas últimas duas semanas, com o número de novos casos diários em queda. Na segunda-feira foram anunciados 77 novos casos, é o valor mais baixo desde 05 de abril, quando se registaram 68 novos casos.


Segundo a Direção Nacional de Saúde, a taxa de incidência acumulada de casos de covid-19 em Cabo Verde, a 14 dias, passou de 727 por cada 100.000 habitantes, no período de 26 de abril a 09 de maio, para 501 por cada 100.000 habitantes, de 10 a 23 de maio.


Cabo Verde regista um acumulado de 29.411 casos de covid-19 desde 19 de março de 2020 (quando foi diagnosticado o primeiro infetado no arquipélago), distribuídos por todos os 22 municípios das nove ilhas habitadas, com registo de 258 mortes por complicações associadas à doença.


O arquipélago regista atualmente 1.947 casos ativos de infeção e soma 27.189 casos considerados recuperados.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest