Covid-19/São Filipe: “Há muita procura para marcação para vacinação” – delegada de Saúde

A delegada de Saúde de São Filipe disse que “há muita procura” por parte de pessoas idosas para a marcação para vacinação, informação avançada na reunião semanal do grupo “task force” de combate à covid-19 no município.

Conforme explicou Joana Alves, a procura é sobretudo de pessoas que não conseguem inscrever-se através da linha verde disponibilizado, que está congestionada, recorrendo assim à delegacia de Saúde para fazer a marcação.

Segundo a mesma, esta estrutura de Saúde vai disponibilizar um funcionário para efectuar a inscrição das pessoas, com registo de nome, residência e contacto telefónico, para assim que começarem a vacinação poderem avisá-las do dia em que devem comparecer no posto de vacinação, lembrando que a vacina é mediante inscrição prévia.

 

Joana Alves avançou ainda que as pessoas idosas não precisam se deslocar às instalações da delegacia de Saúde para a marcação e que qualquer familiar pode fazê-la, bastando para tal apresentar a documentação da pessoa.

 

A nível de São Filipe existe apenas um posto de vacinação que funciona na delegacia de Saúde, o que pressupõe que as pessoas terão de se deslocar dos diferentes pontos para o efeito, daí que as pessoas serão avisadas com a antecedência necessária do dia e hora da vacinação.

 

A vacinação é feita por ordem decrescente de idade e serão vacinadas em primeiro lugar as pessoas mais idosas, segundo critérios definidos pelo Ministério da Saúde e da Segurança Social.

 

Neste momento, o posto de vacinação dispõe de uma sala de espera, sala de triagem, espaço para vacinação e outra sala para repouso após a vacinação, com duas camas, estando as cadeiras devidamente distanciadas umas das outras.

 

Com relação à covid-19, neste momento apenas o município de São Filipe dispõe de casos activos, um total de dez, sendo cinco no bairro III Congresso, dois em Pé do Monte, dois em João da Noly e um em Lugar Novo.

 

Assim, a ilha do Fogo contabiliza, desde o surgimento do primeiro caso, a 17 de Agosto de 2020, um total de 2.086 casos acumulados, sendo 425 nos Mosteiros, 1.516 em São Filipe e 145 em Santa Catarina, com um total de sete óbitos, distribuídos pelos municípios dos Mosteiros (01), Santa Catarina (01) e São Filipe (05) e 2.066 recuperados distribuídos pelos municípios dos Mosteiros com 424, São Filipe 1.498 e Santa Catarina do Fogo 144.

 

As autoridades sanitárias apelam para o reforço no cumprimento das medidas sanitárias, lembrando que mesmo depois das vacinas é necessário manter as medidas.

 

A nível da ilha, além dos profissionais das estruturas públicas de Saúde, foram também vacinados parte dos bombeiros municipais dos três municípios e alguns profissionais das clínicas existente na ilha, já que alguns dos profissionais e funcionários de algumas clínicas recusaram receber as vacinas, segundo a delegada de Saúde de São Filipe, Joana Alves.

 


Inforpress/Fim

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us