Covid-19: Secretário de Estado prevê vacinação de quase 90% dos bravenses até finais de Outubro

O secretário de Estado Adjunto do Ministro da Saúde, Evandro Monteiro, disse esta quarta-feira, 25, que até finais de Outubro a ilha poderá alcançar os 80 a 90 por cento (%) da população elegível vacinada.

Esta análise foi feita à imprensa no final de uma visita de dois dias à ilha, onde o governante veio cumprir a promessa feita no passado mês de Julho de regressar com a sua equipa e acelerar o processo de vacinação na ilha.

Segundo Evandro Monteiro, na primeira visita à ilha ainda o número de pessoas vacinadas encontrava-se muito aquém dos 70% que era a meta estabelecida inicialmente porque ainda a ilha se encontrava nos 30%, devido à resistência das pessoas, entre outros factores.

Mas, neste momento, o secretário de Estado anunciou que a ilha esta prestes a atingir a sua meta na primeira dose e já se encontra a cerca de 30% de pessoas elegíveis com a segunda dose feita.

Segundo informações avançadas, o processo vai continuar, o que Evandro Monteiro considerou como um caso de “satisfação”, embora, conforme acentuou, ainda não se pode dizer que a equipa da saúde esteja tranquila.

Neste ritmo, anunciou que a expectativa é alcançar os 80 a 90% dos elegíveis até finais de Outubro.

Quanto às medidas anunciadas pelo Governo para o reforço do controlo da pandemia da covid-19, Evandro Monteiro considera-as “adequadas”, pois, conforme realçou, com a aceleração do processo da vacinação o que se pretende prioritariamente é a salvaguarda da saúde individual e colectivo, mas depois de tudo isso haverá condições para a reposição da retoma das actividades económicas, apontando o turismo, entre outro.

Já sobre a campanha de vacinação contra o Vírus do Papiloma Humano (HPV), este sublinhou que é “muito importante”, pois são “medidas extraordinárias” e que vão ter um impacto importante relativamente à questões da saúde de uma forma geral, sobretudo na prevenção das doenças oncológicas, ginecológicas, cancro de colo uterino, que se encontram entre as primeiras causas da mortalidade a nível global e também em Cabo Verde.

“Por isso, essas medidas preventivas são fundamentais para que criemos condições adequadas para que a população feminina esteja protegida e com condições adequadas para que assim possamos trilhar caminhos e tenhamos no futuro respostas boas que satisfaz o colectivo da população”, concluiu.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us