Dados apontam que 234 mulheres estão inscritas na OECV das quais 163 exercem a profissão de Engenharia Civil, diz bastonário

O bastonário da Ordem dos Engenheiros de Cabo Verde (OECV) avançou que o número de mulheres na Engenharia tem aumentado e que em 2021, 234 mulheres se inscreveram na Ordem, sendo que 163 exercem a profissão de Engenheira Civil.

Carlos Monteiro avançou esta informação em entrevista à Inforpress, a propósito do Dia Internacional das Mulheres na Engenharia que se assinala a 23 de Junho e que este ano tem como lema “Inventores e Inovadores”.
Conforme lembrou, o percurso de mulheres na Engenharia em Cabo Verde começou antes da independência e que com o passar dos anos esse número de inscritos que desempenham essa função tem aumentando.

“A situação de ingresso de mulheres no mercado de trabalho desempenhando as funções predominantemente masculinas mudou radicalmente, após a independência, as oportunidades foram iguais, trazendo assim uma outra visão feminina na Engenharia”, declarou.

Para este responsável, os engenheiros cabo-verdianos de uma forma geral têm mostrado que tem mesma qualidade o trabalho nas várias áreas de engenharias, tendo adiantado que em 2021 foram inscritos na OECV o total de 1306 engenheiros e que desse número 234 são mulheres.

“Desses números 234 são mulheres e 163 exercem a profissão de Engenharia Civil, o que é muito importante. Temos um número significativo de mulheres que trabalham em par de igualde com os homens nos sectores públicos e privados”, declarou, destacando a coragem de muitas mulheres que abraçaram uma profissão dominada por homens.

Avançou que a OECV, no seu plano de trabalho, tem na direção do Conselho Local, incluído as direcções regionais, três mulheres, reconhecendo, no entanto, que este número é baixo, mas que com o tempo o cenário poderá mudar.

Para que Cabo Verde tenha mais mulheres na Engenharia, no entender de Carlos Monteiro, é preciso que sejam criadas as condições de incentivo, ações de sensibilização, salientando que o gosto pela engenharia tem de começar em casa e no seio académico e que a garantia do aumento de número de mulheres nessa área é um esforço que exige um engajamento de todos.

“Tendo em conta que as mulheres são mais focadas e se houver gosto pelas ciências exatas então competirá ao Estado criar mais incentivos na promoção do gosto pelas ciências exatas. É importante que não sintam medo da Matemática, Química, Física e lembrar também que a Engenharia não é somente a vertente da construção civil”, referiu, apontando a necessidade de se desmistificar as dificuldades existentes nas ciências exatas.

O Dia Internacional das Mulheres na Engenharia é comemorado anualmente em 23 de Junho. A data foi criada pela Women’s Engineering Society (WES), que foi fundada por um pequeno grupo de engenheiras em Londres em junho de 1919 – um século atrás.

A efeméride tem como objetivo fortalecer o espaço que as engenheiras vêm ganhando na profissão, antes maioritariamente ocupada por homens.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest