Amantes e ex-futebolistas preocupados com o rumo e a sustentabilidade da modalidade na ilha do Maio

Os amantes e ex-futebolistas dizem-se preocupados com o rumo e a sustentabilidade da modalidade na ilha, nas vésperas do arranque do campeonato regional, por quanto reina a desorganização em algumas equipas e impera o poderio financeiro nos demais.

A praticamente dois dias do arranque do campeonato regional de futebol, os amantes desta modalidade na ilha do Maio manifestaram hoje as suas preocupações pela forma como algumas das equipas se encontram desorganizadas, razão pela qual das oito equipas da primeira divisão, somente cinco estão inscritos na plataforma FIFA conect e vão participar na prova maior da ilha.

Sem que haja uma aposta forte na verte da formação, as equipas vêm fazendo apostas nos jogadores, muitos deles provenientes das regiões desportivo de Santiago sul e norte, o que preocupa os ex-futebolistas-

Esses alegam que os orçamentos da maioria das equipas são provenientes da ajuda dos sócios, tanto dos residentes, como dos que residem na diáspora, que são a maioria, salientando que isso pode, a qualquer momento, deixar de existir, porque os apoios estão intimamente ligados aos bons resultados.

Esta preocupação tem vindo a ser manifestada nos últimos tempos nas redes sociais pelos maienses, onde muitos sugerem que já é o momento de se realizar um fórum para se discutir a situação do desporto na ilha, que consideram não estar a gozar de “boa saúde”.

Confrontando sobre a possibilidade da equipa de Santana de Morrinho ficar de fora nesta época desportiva, o ativista desportivo Ivanio dos Reis disse ter feito tudo o que estava ao seu alcance para que isso não acontecesse, mas lembrou que isso não depende somente da sua vontade, tendo em conta que existe uma comissão de gestão da equipa, da qual faz parte, mas que devido a vários constrangimentos tiveram que ficar de fora.

Lamentando o atual cenário, aproveitou a ocasião para pedir desculpas aos atletas e toda à massa associativa da equipa.

A mesma questão foi colocada a Fernando Jorge da Graça, que na época desportiva passada dirigiu a equipa do Académico 83, que também lamentou a situação da diminuição das equipas no campeonato regional, frisando que, pelo andar da situação, a ilha poderá ficar sem equipas suficientes para a realização da competição regional nos próximos tempos.

O edil maiense também já tinha manifestado a sua preocupação referente a esta situação no ato da entrega do novo piso relvado do estádio municipal, salientando na altura que a aposta deve ser na formação de base, uma vez que a edilidade está a apostar na construção das infraestruturas desportivas, com a construção de campos relvados nas vilas do Barreiro, já inaugurado, e da Calheta, em construção.

Por seu lado, o presidente da Associação Regional de Futebol do Maio, Manuel Oliveira, disse lamentar muito esta situação, embora da parte que coube a agremiação que dirige, frise que fizeram de tudo para incentivar as equipas ausentes da prova a se organizarem, com vista a participar no campeonato, mas que infelizmente não surtiu efeito.

Assim sendo, com a desistência das equipas dos Académico 83, Santana de Morrinho e Mira-Mar, este ano vão participar apenas cinco equipas no campeonato regional de futebol, quais sejam Académica do Maio, Barreirense, Figueirense, Morreirense e Onze Unidos, o que vai obrigar a Associação Regional de Futebol a realizar apenas um jogo aos sábados e outro aos domingos.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest