Governo desenha proposta sobre financiamento do desporto pelas empresas públicas

O Ministério do Desporto está a desenhar uma proposta a ser submetida ao primeiro-ministro em que o Estado, enquanto único accionista, dará “orientações mais precisas” às empresas públicas em como devem participar no financiamento do desporto.

Quem o diz é o ministro do Desporto, Carlos Monteiro, que, durante a sua visita de três dias a Santo Antão, foi confrontado com os clubes sobre a forma como as empresas públicas têm estado a financiar o desporto em Cabo Verde, privilegiando alguns clubes e distorcendo, assim, as competições.

Para o ministro, que falava no término da visita, esta quarta-feira, é necessário “maior alinhamento” das empresas públicas “naquilo que é o objectivo do desporto” cabo-verdiano, “algo” sobre o qual disse ter já conversado com o chefe do Governo.

O financiamento ao desporto por parte das empresas públicas “não deve ser algo feito de forma ‘ah doc’, ou seja, “como as empresas acham que deve ser feito”, entende Carlos Monteiro.

“Será que uma empresa pública deve patrocinar directamente um clube? É uma questão sensível sobre a qual devemos reflectir”, questiona o governante, admitindo que a forma como as empresas do Estado têm patrocinado alguns clubes pode “desvirtuar as competições internas”.  

As verbas destinadas pelas empresas públicas ao desporto deviam ser alocadas ao Instituto do Desporto e Juventude para “prosseguir com “as políticas públicas do desporto” e ser distribuídas a todas as modalidades, através de contratos-programas, para “não distorcer a concorrência”.

Caso seja necessário, deve-se propor a alteração da lei no âmbito do sistema de base do desporto nacional, concluiu o ministro.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest