Santo Antão: Escola de Futebol Evoluindo P. Sol aposta na promoção do futebol feminino

A Escola de Futebol Evoluindo P. Sol decidiu há cinco meses criar um projecto da modalidade em feminino e apostou em Darlene Fortes, que já foi destaque no futsal, para treinar e preparar as meninas.

Em declarações à Inforpress, um dos fundadores da escola, Hernani Lima, disse que a ideia de apostar na promoção do futebol feminino surgiu graças a integração de uma atleta feminina no plantel masculino, por iniciativa da mãe.

“Ela começou a treinar com os rapazes do seu escalão, nisso coloquei um ‘post’ numa rede social, na qual mencionei que era a única atleta feminina a treinar no meio dos rapazes e graças a este ‘post’ hoje, temos 20 meninas dos 7 aos 12 anos que integram o plantel”, salientou.

Com a equipa formada, Hernani Lima pontuou que houve necessidade de ter alguém para treinar as meninas e a aposta foi em Darlene Forte, uma amante do futebol, que já foi considerada uma das melhores jogadoras de futsal em Ribeira Grande.

“Estamos a criar um viveiro de atletas feminino e não poderíamos deixar de apostar na Darlene Fortes que tem conhecimento para ser monitora dessas meninas” sublinhou.

Hernani Lima afirmou que está satisfeito em ver a alegria das meninas nos treinos e suas expectativas enquanto atleta.

No entanto, a mesma fonte pontuou que as equipa federadas não tem apostado no futebol de formação no concelho e há necessidade de apostar na formação da modalidade.

Por sua vez, a monitora Darlene Fortes afirmou que ficou “contente” com a aposta da Escola de Futebol Evoluindo P. Sol e que assim que recebeu o convite aceitou de imediato.

“É a primeira vez que me convidam para fazer parte de um projecto do tipo e quero ensinar a essas crianças tudo que aprendi ao longo do tempo que joguei”, acentuou.

Pois, segundo Darlene Fortes, as meninas da escola de futebol estão tendo uma oportunidade que ela não teve de entrar numa escola de futebol.

A mesma fonte enfatizou que o processo não será fácil, tendo em conta que é difícil gerir um grupo só de meninas.

“Estamos ainda no início e ainda não estão a levar muito a sério o futebol, estão ali mais para brincar. No entanto, ainda estamos no início e com tempo terão outra mentalidade e disciplina”, alegou.

Segundo Darlene Fortes é a primeira vez que se aposta em Santo Antão numa escola para evoluir meninas e na sua opinião deveriam apostar “mais e mais” como forma de levar o futebol feminino “mais a sério”.

Darlene Fortes tem 27 anos, e, como ela costuma dizer, “nasceu jogando futebol”, uma modalidade que disse amar desde muito nova.

Sempre que tinha oportunidade estava no recinto da Ponta do Sol a jogar no meio dos rapazes e até já teve situações na qual os rapazes “choravam” para jogar na mesma equipa do que ela.

Darlene Fortes costuma brincar que na altura era “um macho no meio dos machos”, no entanto, depois que foi mãe, teve que parar, mas nunca desistiu do futebol até porque, segundo a mesma, é algo que gosta de praticar.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest