Santo Antão Norte: Adepto do Solpontense acusa presidente da associação regional de futebol de “perseguição e injuria”

Um adepto do Solpontense acusou hoje o presidente da Associação de Futebol da Região Norte de Santo Antão (AFRNSA) de “perseguição e injuria” após ter a sua entrada no Estádio João Serra, na Ponta do Sol, interditada.

Segundo João Recheado, que procurou a Inforpress para fazer a denuncia, já é a segunda vez o presidente da AFRNSA, Hermes Pinto, através do Conselho de Disciplina, o proibiu de entrar no Estádio João Serra.

“Na primeira punição, que foi de 12 meses, justificaram numa nota que fui castigado por ter proferido palavras não tão boas na minha conta de uma rede social. Como nessa altura já estava com uma viagem marcada decidi por deixar passar e não recorrer”, salientou.

Após passar esses 12 meses, Jhonny Recheado pontuou que como um adepto “assíduo” do Solpontense começou a frequentar o campo de futebol para assistir algumas partidas do seu clube.

Entretanto, conforme a mesma fonte, no dia 02 de Março, após o jogo das meias finais da taça região norte de Santo Antão entre Solpontense e Paulenses vários adeptos e até dirigentes dos auri negros, “insatisfeitos” com a prestação da equipa de arbitragem no jogo, invadiram a tribuna do estádio para proferir palavras obscenas a membros da associação que estavam no local.

A mesma fonte frisou que depois desse “barulho”, que culminou na detenção do presidente do Conselho de Arbitragem da AFRNSA, por ter-lhe ameaçado com arma branca, uma semana depois foi para o Estádio João Serra ver o jogo da final do campeonato regional de Sub-17 e tal foi o seu espanto a sua entrada foi “impedida” por dois policiais.

“Tinha consciência que poderia ser punido, mas o que estranho foi a rapidez do meu processo, enquanto que outros, inclusive de alguns dirigentes nunca sairam. Por isso questiono o porquê de ter dois pesos e duas medidas”, argumentou.

Jhonny Recheado alegou que desta vez “não vai deixar passar” mais uma que ele considerou “arbitrariedade” por parte do presidente da AFRNSA e por isso, avisou que já entrou com um recurso junto da Federação Cabo-verdiana de Futebol e apresentou uma queixa por injuria no Tribunal da Comarca da Ribeira Grande.

“Não é assim que as coisas funcionam, se estão a me condenando por cometer alguma infração é algo que tem que ir de acordo com a lei e não cabe a associação, simplesmente fazer um processo disciplinar e me punir sem me deixar defender. Acho que deveriam dar-me o direito de defender como é feito nos tribunais ou na policia”, observou.

Conforme, João Recheado essas atitudes já estão a tornar algo pessoal, pois segundo a mesma fonte “não é normal no mesmo Estádio João Serra um dirigente de um clube ameaçar o treinador do Solpontense que iria desferir-lhe uma facada e esse dirigente continua a frequentar o Estádio sem qualquer impedimento por parte da associação”.

João Recheado recordou ainda que o presidente do Conselho de Arbitragem “estava com uma faca” no Estádio tendo o mesmo o ameaçado com a arma branca e até hoje “não saiu nenhuma nota sobre o caso por parte da associação”.

“Questionei do silencio da AFRNSA perante a atitude do presidente do concelho de arbitragem e fui informado de que estão a instruir o processo. Mas como estão a instruir um processo se no meu caso em uma semana do mesmo acontecimento fui condenado sem sequer ser ouvido a 18 meses sem entrar no Estádio”, perguntou.

“Estranho também como é que a policia está a cumprir uma ordem dada pela AFRNSA. Não é normal e por isso quero respostas de quem de direito porque não cabe na cabeça de ninguém o que está a passar nesta região desportiva”, enfatizou.

E por tudo isso, João Recheado apelou a Federação Cabo-verdiana de Futebol para averiguar o que anda a acontecer na região desportiva Santo Antão Norte, pois, na sua opinião, tem acontecido várias “anomalias” como quando nomeiam os árbitros para apitarem as partidas e os mesmos apitam de “forma tendenciosa”.

“Temos um presidente da AFRNSA que está a fazer um trabalho de polícia e de presidente da associação o que é ilegal, ou é presidente ou é policia. Também temos presidente do Conselho de Arbitragem que tem vido frequentemente ao Estádio João Serra aparentemente bêbado e para o desporto é uma vergonha”, denunciou.

As várias tentativas da Inforpress para contactar o presidente da Associação de Futebol Região Norte de Santo Antão revelaram-se infrutíferas.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest