Wesley Brito desponta para tornar-se campeão do Mundo no “Wing Foil”, alerta Matchu Lopes

O campeão do mundo em Kitesurf, Matchu Lopes, alerta as autoridades cabo-verdianas a dedicarem uma atenção a Wesley Brito, um jovem na Boa Vista “que desponta no Wing Foil”, uma nova disciplina dos desportos náuticos.

Trata-se de um novo desporto aquático, composto de prancha de foil, de quilha comprida e fina, que permite ao praticante ficar completamente fora da água e uma “asa inflável”, direccionada com as mãos, semelhante ao formato de uma asa delta.

À Inforpress, Marciel Lopes Almeida, conhecido por Matchú Lopes no mundo desportivo, descreveu Wesley Brito como “um talento incrível” e que, assim como os especialistas, está convicto de que o jovem sanvicentino, que reside na ilha da Boa Vista, é um “fora de série” e tem pergaminhos para se tornar no próximo campeão do mundo, “num futuro imediato”.

“Está no momento, num pico de forma, treina muito, trabalha e literalmente o que ele precisa é de um bocadinho mais de atenção, o que não é difícil, quer dizer não é pedir muito, mas pedir um bocadinho de ajuda para poder sair fora para intensificar os treinos. Por trás quem vai ganhar é Cabo Verde”, alertou Lopes.

Emocionado ao falar deste jovem que o mesmo considera um “prodígio em ascensão”, Matchu Lopes afirmou que “seria uma pena realmente, se não for feito nada”, com o argumento de que a burocracia para o pedido de vistos torna-se “muito frustrante” para os competidores, que terão de “lutar contra a burocracia e pedir favores nas fronteiras”.

Afiançou que esta nova disciplina desportiva entrou em força no mercado a ponto de alcançar praticamente o patamar de kitesurf e que já colocou Wesley Brito, com pouco mais de 20 anos de idade, na sua equipa – a melhor marca de indústria – Desporto Náutico Windsurf Kite.

Revelou que o seu patrocinador vende uma média de 70 mil velas anualmente, já que o Wing Foil já é apontado como a modalidade do futuro, e que seria uma pena caso Wesley não venha a conseguir apoios de Cabo Verde, já que por ser um talento nato, “não bebe e não fuma”, trabalha e já tem pranchas e todo o necessário para a competir e sonha alto.

“Tem precisamente os sonhos idênticos aos que eu tinha. Pensa em subir o pódio mais alto, colocar Cabo Verde em cima, viajar para os lugares mais incríveis e ser feliz no que pode fazer”, explicitou Lopes, lembrando que a carreira desportiva é curta, pelo que há que aproveitar, saber tirar proveito no tempo preciso.

Matchú Lopes, especialista na prática dos desportos náuticos nas disciplinas de bodyboard, skimboard, surf e windsurf, é campeão do Mundo por Cabo Verde em 2016 na disciplina de kitesurf.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest