Destino Fogo aborda situação dos guias turísticos e inclusão de ex-reclusos e retornados na cadeia ecoturística

A situação dos guias turísticos da ilha do Fogo e a inclusão socioeconómica de ex-reclusos da Cadeia Civil e dos migrantes retornados na cadeia ecoturística é tema de discussão hoje na segunda mesa de diálogo do projeto Destino Fogo.

O projecto Destino Fogo – Desenvolvimento Ecológico e Sustentável do Turismo e Inovação da Oferta é implementado pela Organização não-governamental Italiana, Cospe, e neste segundo encontro alargado com os parceiros vai ainda debruçar sobre análise participativa da cadeia ecoturística com apresentação dos primeiros resultados.

Durante o encontro, que decorre na sala de reunião do Centro Cultural Armand Montrond na cidade de São Filipe será partilhada com os parceiros a experiência da Faculdade de Artes e Turismo da Universidade italiana de Milão sobre o turismo.

O Destino Fogo, iniciado em Novembro de 2023 terá a duração de três anos e conta com um financiamento de mais de um milhão de euros (1.055.000), perto de 120 mil contos cabo-verdianos, dos quais 200 mil euros serão disponibilizados para as cooperativas, empresas e associação visando a implementação de actividades de diversificação turística e requalificação de estruturas de acolhimento.

O projecto é implementado pela ONG Cospe em parceria com a Associação Projecto Vitó, Associação Cabo-verdiana de Luta Contra Violência Baseado no Género (ACLCVBG), Laço Branco, Associação FG Turismo, Associação Italiana Turismo Responsável (AITR) e as três câmaras da ilha.

Já a Associação para Reinserção Social dos ex-reclusos “Novu Rumo” em parceria com a ONG Cospe promove no dia 11 de Maio na cidade de São Filipe um intercâmbio desportivo no campo de Lém, entre ex-reclusos e migrantes retornados.

Durante a actividade, que decorre das 16:00 às 18:00, será promovida uma conversa aberta sobre “masculinidade positiva e gestão de conflitos” dirigida pelo membro fundador da Rede Laço Branco de Cabo Verde Francisco Tavares.

O objectivo do intercâmbio, segundo o presidente da Associação Novu Rumo (Novo Rumo), João Andrade, é promover uma melhor aproximação entre ex-reclusos, migrantes retornados e a própria associação.

A Associação Novu Rumo é a primeira associação para reinserção social de ex-reclusos criada a nível de Cabo Verde, no âmbito do projeto Pessoas co-financiado pela União Europeia e implementado pela ONG Cospe.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest